ESPECIAL COVID-19: CIDADES RESILIENTES

Entenda como as cidades podem aprender com a crise causada pela pandemia e criarem espaços urbanos mais resilientes e sustentáveis:

Cidades Resilientes são aquelas que possuem a capacidade de absorver, recuperar e se preparar para crises (econômicas, ambientais, sociais e institucionais). De acordo com o estudo Cidades Resilientes: Respondendo ao Pico do Petróleo e Mudanças Climáticas, de Peter Newman em coautoria com Timothy Beatley e Heather Coyes, cidades resilientes são cidades que podem durar e passar por crises, assim como apropriando uma infraestrutura física capaz de lidar com situações futuras. 

A primeira aparição do conceito resiliência voltada para o planejamento urbano foi em 2002, sendo que levariam 10 anos para o termo se popularizar e causar um boom nas pesquisas do Google. Apesar disso, diferentemente do conceito de cidades inteligentes, o número de definições para cidades resilientes é limitado: até a pandemia do covid, o termo foi quase exclusivamente utilizado para cidades que experimentaram crises agudas. 



Em 2020, a crise vivenciada devido a pandemia de coronavírus evidenciou problemas estratégicos presentes no espaço urbano, ao mesmo tempo que promoveu um espaço para que gestores repensassem a maneira como cidades são projetadas, planejadas e gerenciadas. Foi apenas ano passado que diversas cidades, que até então estavam em movimento de expansão sem nunca enfrentarem grandes crises, sentiram a necessidade de desenvolver planos que buscassem promover um desenvolvimento mais sustentável e inteligente.

Nesse sentido, a pandemia também trouxe outras dimensões para cidades que já estavam acostumadas a lidar com crises de risco único (terremotos, incêndios florestais, inundações, etc). A crise, que mesmo no terceiro mês de 2021 segue sem previsão de acabar, acarretou em diversos problemas em ‘cascata’ que afetaram diversos setores da sociedade. Ou seja, cidades resilientes são aquelas que possuem respostas colaborativas e integram todos os setores que compõem o espaço urbano para enfrentar problemas ocasionados por uma crise. 

As plataformas digitais, no contexto de uma crise global, se mostraram essenciais para o gerenciamento de dados que auxiliaram em respostas imediatas por parte dos gestores e também com a prevenção e avaliação de risco de potenciais propagações, etc. A resiliência das cidades dependerá da capacidade de gestores de utilizar softwares de sistema para capturar informações relevantes que proporcionem uma gestão mais eficiente e conectada. 

DESENVOLVIMENTO DE CIDADES SUSTENTÁVEIS 

 Mais da metade da população mundial já reside em áreas urbanas e a expectativa é que até 2050 esse número seja maior que 70%. De acordo com o estudo New Climate Economy, a expansão urbana inteligente poderá gerar uma economia de U$17 trilhões até 2050, sendo que a ação climática para o baixo crescimento de carbono nas cidades poderá render U$26 trilhões até 2030. 

Com isso, a pandemia proporcionou estratégias que buscam reconstruir o planejamento urbano com o objetivo de tornar as cidades locais mais resilientes e sustentáveis. É ideal que a recuperação econômica aconteça de forma verde e inclusiva, baseada na transformação ecológica e crescimento de opções de baixo carbono, além de estabelecer uma resposta à crise que enfrente as desigualdades sociais e busquem o desenvolvimento de longo prazo. 

Nesse contexto, a crise climática tem impactos tão profundos quanto a pandemia de coronavírus. Ocorrendo de maneira silenciosa, lentamente, mas exponencialmente, está afetando diversas regiões do planeta com impactos que podem ser irreversíveis. Apesar disso, poucas ações imediatas e colaborativas estão em curso: com a crise do coronavírus, gestores podem aprender com estratégias que unem todos os setores para aplicar em outras crises que afetam a cidade, sendo a ambiental uma das mais significativas. 

Além disso, o cenário de recuperação pode fornecer uma estrutura mais holística para alcançar os objetivos almejados pelas cidades, proporcionando maior bem-estar para os cidadãos, a partir de uma infraestrutura voltada para a resiliência e a sustentabilidade. O Portal Connected Smart Cities está realizando uma série de matérias para discutir o impacto da pandemia no desenvolvimento de cidades inteligentes, clique aqui para conferir nossa matéria anterior. 

ACOMPANHE OUTRAS MATÉRIAS SOBRE CORONAVÍRUS:
O CORONAVÍRUS E O DIREITO À CIDADANIA
COMO O CORONAVÍRUS MOSTRA A NECESSIDADE DE RESILIÊNCIA
A RESPONSABILIDADE DE GOVERNAR DURANTE O CORONAVÍRUS

Avatar
Beatriz Faria
Especialista em Conteúdo da Necta - Conexões com Propósito
Publicidade
spot_img
spot_img

Últimas Matérias