ESPECIAL CIDADES: FLORIANÓPOLIS

Confira como Florianópolis se classificou no Ranking Connected Smart Cities 2020 e quais são as perspectivas para a nova gestão de 2021

Florianópolis ficou conhecida como Ilha do Silício brasileira pelo fato de ter um ecossistema tecnológico que dá origem a grandes empresas no setor. Incentivos do governo, como a criação da Lei Municipal de Inovação e o Plano de Ação em Ciência, Tecnologia e Inovação (C,T&I) são responsáveis por atrair empresas de base tecnológicas, contando com aproximadamente 600 empresas de software, hardware e serviços de tecnologia.

A Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia (ACATE), a Associação Comercial e Industrial de Florianópolis (ACIF) e a Prefeitura traçaram um plano em 2017 para o desenvolvimento de um Laboratório de Inovação Urbana, com o objetivo de tornar a cidade mais inteligente e conectada. A primeira ação realizada pelo Laboratório se constituiu da instalação de roteadores Wi-Fi e câmeras inteligentes em uma das principais vias da cidade, a Rua Vidal Ramos, localizada no centro. As imagens das câmeras podem ser acessadas de qualquer dispositivo, permitindo que órgãos de segurança e comerciantes tenham acesso ao armazenamento e gerenciamento de imagens na nuvem.

A Rede Municipal de Centros de Inovação é formada por quatro centros: O CIA Downtown, o CIA Primavera, o CIA Sapiens e o SOHO. O objetivo principal desses centros é fornecer capacitação na área de ciência, tecnologia e inovação, atraindo novos investidores e negócios para Florianópolis. De acordo com o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, “O fato de Florianópolis ter avançado no setor de tecnologia, faz com que exista a criação de pequenas empresas- que se formam com o apoio do fundo municipal de inovação criado pela prefeitura- e percebemos que cada recurso investido volta de 3 à 4 vezes maior na arrecadação”.

A cidade foi a segunda colocada no Ranking Connected Smart Cities 2020, tendo destaque nos eixos de Economia (3° lugar); Tecnologia (4° lugar); Educação (5° lugar); e Mobilidade (5° lugar). Florianópolis representa 14% do PIB da capital catarinense e, a partir de uma infraestrutura sólida, de maneira a apoiar o desenvolvimento tecnológico, o setor de Tecnologia e Informação e Comunicação (TIC) apresentou taxas de crescimento em 2020, mesmo durante o cenário de crise graças a pandemia do COVID-19.

A perspectiva é que a cidade invista mais em tecnologia na próxima gestão, desenvolvendo políticas que estimulem o desenvolvimento de uma cidade inteligente. O Connected Smart Cities irá realizar eventos regionais para promover a discussão, a troca de informações e a difusão de ideias entre governo, entidades e empresas, visando entender como novas políticas podem ser desenvolvidas nas novas gestões para a construção de cidades mais inteligentes e conectadas. O evento regional em Florianópolis irá acontecer no dia 08/06, para saber mais clique aqui.

CONFIRA OUTRAS MATÉRIAS SOBRE FLORIANÓPOLIS:
FLORIANÓPOLIS É DESTAQUE COM POLO DE INOVAÇÃO E TECNOLOGIA
TECNOLOGIA E INOVAÇÃO EM FLORIANÓPOLIS
EM ENTREVISTA EXCLUSIVA, O PREFEITO DE FLORIANÓPOLIS CONTA COMO O INVESTIMENTO EM TECNOLOGIA E INOVAÇÃO AJUDOU A CIDADE A ENFRENTAR A CRISE

Beatriz Faria
Especialista em Conteúdo da Necta - Conexões com Propósito

Últimas Matérias