NOS TRILHOS DO METRÔ DE SP: COMO A INOVAÇÃO TEM IMPULSIONADO A MOBILIDADE HUMANA NO TRANSPORTE COLETIVO

Metrô de São Paulo tornou-se referência de modernidade tecnológica no transporte público a serviço da população

Desde que passei a atuar no mercado da mobilidade, a história do metrô é algo que me inspira e me faz pensar sobre a importância da inovação frente a questões coletivas. Quando começou a operar, lá em meados de 1974, o Metrô de SP tornou-se referência de modernidade tecnológica no transporte público a serviço da população. Imaginem que isso aconteceu há quase meio século, época em que ‘inovação’ ainda estava longe de ser uma tendência exigida pelo mercado. Naquela época, o então novo meio de transporte na capital paulista, com vagões interligados para a movimentação rápida de pessoas dentro da cidade, era apontado como disruptivo.

Vale ressaltar também que o Metrô também serve como forte inspiração para quem enxerga o aprimoramento constante da mobilidade como meio de movimentar as pessoas com níveis cada vez mais elevados de segurança, conforto e qualidade. Por isso acredito que mais do que um importante parceiro, o Metrô é uma fonte de inspiração todos os dias para nós da Autopass, empresa que nasceu em 2009 com o propósito de simplificar a mobilidade humana por meio do desenvolvimento e implementação de novas soluções e tecnologias. Um bom exemplo dessa nossa forma de pensar é a recente modernização completa da bilhetagem e dos meios de pagamento para embarque no Metrô de São Paulo, introduzida com a chegada da nova plataforma TOP.



Até dezembro de 2020, as passagens unitárias para uso no Metrô eram disponibilizadas exclusivamente nas bilheterias instaladas nas estações, tendo o dinheiro como única forma de pagamento. O crescimento populacional na maior metrópole da América Latina, aliado ao novo cenário global de transformação digital já em curso há alguns anos, apontavam para o desafio de pensar em soluções inovadoras, capazes de acelerar a fluidez da movimentação no interior das estações e nos trens, garantindo mais praticidade e segurança aos passageiros.

Os primeiros passos desta tendência foram dados há mais de dez anos, em 2012, com a assinatura do acordo ‘BOM nos Trilhos’, que integrou na ocasião o sistema BOM à rede metro ferroviária, trazendo inúmeros benefícios aos usuários. Alguns anos depois, em uma segunda onda, teve início o projeto piloto do QR Code no Metrô e na CPTM. As sementes da modernização no transporte público estavam plantadas.

Seja pela ampliação dos canais de venda, a diversificação das formas de pagamento ou a facilidade de comprar bilhetes impressos ou digitais antes mesmo de chegar às estações, a plataforma TOP tem colocado a modernidade tecnológica e a digitalização a serviço do transporte metropolitano em São Paulo, com soluções inovadoras à palma da mão dos usuários. Hoje, para adquirir bilhetes, o passageiro conta tanto com os canais digitais — aplicativo e WhatsApp –, como também com canais físicos, compostos por uma rede de mais de 8 mil estabelecimentos comerciais credenciados e cerca de 800 máquinas de autoatendimento nas estações, que se somam ainda às tradicionais bilheterias.

Com ferramentas tecnológicas adaptáveis a diferentes tipos de plataformas e operações, temos orgulho de agregar valor e inteligência aos negócios de nossos parceiros e, principalmente, de ajudar a melhorar o dia a dia das pessoas. Isso nos impulsiona a seguir trilhando cada vez mais o caminho da inovação a serviço da mobilidade humana.

Com informações da Assessoria de Imprensa

CLIQUE AQUI E ACESSE OUTRAS MATÉRIAS SOBRE MOBILIDADE

Connected Smart Cities
Connected Smart Cities é uma plataforma multidimensional que acelera o processo de desenvolvimento das cidades inteligentes.
Publicidade
spot_img

Últimas Matérias