ESPRO CAPACITA MULHERES DE 16 A 22 ANOS NO SETOR DE TECNOLOGIA

Projeto em parceria com a Basf forma mulheres na área de Programação

Uma parceria entre o Espro (Ensino Social Profissionalizante) e a Basf capacitou mulheres na área de programação para colaborar com a diminuição da desigualdade de gênero no setor de Tecnologia. O projeto formou 20 mulheres em 2021. A iniciativa foi uma das escolhidas na seleção pública realizada pela empresa, por meio do Edital Conectar para Transformar, que apoia projetos com foco em empregabilidade, educação científica, educação ambiental e proteção dos recursos naturais e da biodiversidade.

Pesquisa recente do Cippec (Centro de Implementação de Políticas Públicas para Igualdade e Crescimento), com apoio da Salesforce, apontou que as áreas de ciência e tecnologia ainda estão longe de alcançar a equidade de gênero nas contratações no Brasil: só um em cada três profissionais trabalhando na área são mulheres.



“Com esta parceria, queremos capacitar mulheres para que possam entrar no mundo do trabalho em uma área com carência de profissionais e de equidade de gênero. É uma oportunidade para essas jovens conquistarem empregos com bons salários e perspectivas de carreira”, afirma Alessandro Saade, superintendente executivo do Espro.

Treinamento

As participantes do “Empoderar, Prototipar e Inovar” são formadas em Arduino, uma técnica inventada na Itália em 2005 que consiste em uma placa de prototipagem eletrônica de código aberto, que inclui hardware e software livres e visa oferecer ferramentas adaptáveis e de baixo custo para a criação de projetos interativos de diversas ordens.

O treinamento tem 80 horas de duração, divididas em 20 dias, e é realizado totalmente online. Para que isso fosse possível em meio à pandemia, o Espro enviou à casa de cada uma das participantes um tablet com conexão 4G mais o kit de peças para a prototipagem de automação. Apesar de oferecido de forma remota, todos os encontros contaram com a presença de um instrutor ou tutor, facilitando a construção do conhecimento.

Na primeira fase, as estudantes foram capacitadas em uma versão resumida do programa FMT (Formação para o Mundo do Trabalho), metodologia do Espro que desenvolve habilidades necessárias à inserção no mundo do trabalho e desperta espírito empreendedor e posturas compatíveis às exigências e aos desafios do ambiente corporativo, com competências técnicas e comportamentais.

Após o FMT, as estudantes se aprofundaram no Arduino, aprendendo as principais funções, entradas digitais e analógicas, sensores, motores e automação residencial. Além disso, fizeram um trabalho de final de curso, buscando gerar impacto social com a solução criada por cada uma delas.

“Na BASF temos como propósito criar química para um futuro sustentável. Nossa estratégia de engajamento social está diretamente conectada para construção de uma sociedade cada vez mais inclusiva. Com este projeto promovemos a equidade de gênero, proximidade, qualificação, geração de renda, colaboração e desenvolvimento local comunitário”, reforça Ivânia Palmeira, consultora de Sustentabilidade e Engajamento Social da BASF.

Com informações da Assessoria de Imprensa 2PRÓ Comunicação e Máquina Cohn&Wolfe

CLIQUE AQUI E ACESSE OUTRAS MATÉRIAS SOBRE EDUCAÇÃO
Connected Smart Cities
Connected Smart Cities é uma plataforma multidimensional que acelera o processo de desenvolvimento das cidades inteligentes.
Publicidade
spot_img
spot_img

Últimas Matérias