SÓCIO E COO DA SMART DRIVING LABS AFIRMA QUE O USO DA INOVAÇÃO ABERTA É UM CAMINHO SEM VOLTA NO SETOR AUTOMOTIVO

André Schaeffer participou de um debate virtual promovido pela Conecta Autos para acelerar e transformar o mercado de automóveis

Com apresentações virtuais, o Conecta Autos é o primeiro evento proprietário da américa latina criado para acelerar e promover mudanças no mercado de veículos. Em três dias de encontro, os maiores executivos de empresas e especialistas em tecnologias automotivas, no Brasil, debateram as inovações, as tendências do setor e soluções para potencializar as vendas das AutoTechs.

Para o sócio e COO da Smart Driving Labs, André Schaeffer, o papel da inovação aberta no setor automotivo é “um caminho sem volta”. A ajuda da tecnologia passou a ser determinante na expansão dos negócios da indústria tradicional. O executivo, que participou do debate promovido pela Conecta Autos, alerta, porém, que a entrada de uma autotech em uma empresa convencional somente ocorre se houver um convencimento inicial a importância da inovação. “Tem um trabalho de catequese que você precisa fazer junto ao cliente, mostrar o valor que uma startup pode trazer para a empresa dele”, acrescentou Schaeffer.



Na avaliação do COO da Smart Driving, a indústria automobilística atual agrega a tecnologia muito para o interior do carro, com foco nos equipamentos de multimídia e esquece das enormes oportunidades que existem “fora” do veículo. E citou como exemplo um sensor colocado na suspensão de um Uber que mapeou 100% das ruas de São Paulo com buracos. Segundo André Schaeffer, uma experiência como essa tem um valor enorme para o levantamento de dados que podem auxiliar em outros setores, com custo baixíssimo.

A oportunidade de ter alguém de fora focado em um negócio que não é o core business da empresa, a atividade principal, traz muitas vantagens para a indústria. Enquanto o fabricante está preocupado com mudanças na direção do veículo, automação, uma startup pode desenvolver um software para analisar o desempenho do carro.

Por fim, André Schaeffer aponta como um dos motivos para que o segmento automotivo ainda não tenha criado uma parceria efetiva com o universo das startups é que, ao contrário do setor bancário e de saúde, as autotechs não “batem de frente” com as montadoras, não oferecem risco de concorrência na produção de carros. O executivo acredita que, neste momento, os setores de autopeças e de seguros são os maiores interessados nas plataformas, como a Smart Driving, que combinam dados, tecnologia e veículos em um único sistema de monitoramento.

Com informações da Assessoria de Imprensa

CLIQUE AQUI E ACESSE OUTRAS MATÉRIAS SOBRE MOBILIDADE
Publicidade
spot_img
spot_img

Últimas Matérias