DELIVERY LAST-MILE: A MÁGICA DA ENTREGA EM POUCOS MINUTOS

A inteligência em logística atrelada a conceitos de mobilidade urbana têm oferecido aos consumidores um serviço de entrega nunca antes visto

A maneira como algo chega em nossas casas nunca foi tão importante. A expectativa dos consumidores com o prazo e a conveniência da sua entrega nunca foram tão altas. Além disso, hoje há também a preocupação com o impacto ambiental daquele serviço. Há poucos anos o ápice de uma boa experiência de delivery era uma entrega em no mínimo dois dias, termos recentes no mercado como ‘receba amanhã’ ou ‘entrega no mesmo dia’ já estão se tornando obsoletos. Atualmente falamos em ‘Receba em X minutos’ (seja lá de onde esteja vindo). O e-commerce em ascensão tem exigido tecnologias disruptivas que estão sacudindo toda a cadeia de entregas, em especial quando falamos em tecnologias relacionadas à mobilidade last-mile, ou aquela última etapa percorrida para que o produto chegue em sua casa.

De acordo com o último relatório produzido pelo Fórum Econômico Mundial sobre o futuro do ecossistema last-mile, a última milha é a etapa menos automatizada do processo de entrega das empresas e é responsável por aproximadamente 50% do custo total do serviço. Isso se deve à complexidade dos grandes centros urbanos que ainda não possuem estrutura para receber os veículos autônomos ou drones e a falta de profissionais de entrega habilitados para motos ou carros, além da falta de espaços físicos para descentralização de estoques.



Vamos analisar dois pontos desse desafio: o consumidor não quer pagar nada mais pela entrega; e é cada vez mais exigido pela sociedade que toda a cadeia de entrega seja sustentável.

O primeiro ponto vem sendo tratado pelas empresas de e-commerce como diferencial na hora da venda: ‘Compre agora e receba no mesmo dia’ e ‘Frete grátis’ são alguns dos incentivos que nós consumidores recebemos enquanto estamos navegando em prateleiras infinitas online. O segundo ponto é a entrega, a mobilidade sustentável onde estamos falando sobre a capacidade ou possibilidade de movimento de pessoas, das coisas e até mesmo de dados. A ‘entrega’ é somente a finalização deste processo. Mas tudo o que acontece ao longo desta jornada, é a mobilidade.

A mobilidade sustentável vai além das bicicletas, motos, patinetes ou quaisquer veículos elétricos que deixam as nossas cidades mais silenciosas e limpas. Estamos falando de gente! Pessoas que fazem os pedidos chegarem em nossos endereços, dentro de um prazo cada vez mais exigente. É preciso garantir segurança, inclusão, engajamento, remuneração e jornadas dignas aos profissionais que estão à frente desse serviço para que esta entrega seja considerada sustentável.

Recentemente uma das maiores fashion techs do Brasil, a C&A, iniciou testes para garantir a sustentabilidade, eficiência e baixo custo operacional em suas entregas last-mile. A utilização das próprias lojas da rede e também de Hubs próprios ,como bases de estoque avançados, servindo como área de apoio para o entregador e contanto com a aplicação de tecnologia para a gestão, controle e roteirização, fez com que a produtividade do profissional de entrega aumentasse cerca de 30%. A previsibilidade que o processo trouxe permitiu que a jornada de trabalho dos entregadores se tornasse mais planejada e segura.

Neste case da fashion tech, podemos observar também um aumento considerável na satisfação dos clientes que residem num raio de até 10 quilômetros das lojas que já tem o serviço disponível e já recebem seus produtos em algumas horas. Além disso, foi possível observar a melhora de outros indicadores relacionados, como por exemplo, o incremento das vendas (em razão da diminuição do prazo de entrega prometido na plataforma). A inteligência de gestão logística aliada a mobilidade (lojas+modais+tecnologia) traz visibilidade, controle e gestão, otimização no processo de last-mile e redução de custo operacional de entrega em cerca de 18%, quando comparado ao modelo de entrega tradicional.

Considerando que mobilidade sustentável é tudo aquilo que nos faz ganhar tempo e qualidade de vida, podemos dizer que os e-commerces estão no caminho certo! O comprometimento, a combinação de tecnologias e iniciativas estão transformando e impactando positivamente o ecossistema da mobilidade sustentável e nós consumidores, profissionais de entrega e empreendedores só temos a ganhar com isso.

As ideias e opiniões expressas no artigo são de exclusiva responsabilidade do autor, não refletindo, necessariamente, as opiniões do Connected Smart Cities  

Denis Lopardo
Founder e CEO da BDOO SMART MOBILITY Seu portfólio inclui fundação da 1ª startup de micromobilidade elétrica do Brasil, 1º case mundial de micromobilidade aplicada ao B2B delivery (iFood), integração bicicletários ao metrô (CCR Mobilidade), interconectividade apps/wallets (AutoPass, TicketLog), projetos de micro-fulfillment centers e discussões regulatórias.
Publicidade
spot_img
spot_img

Últimas Matérias