VEM AÍ O RANKING CONNECTED SMART CITIES 2022

Ranking Connected Smart Cities 2022, mais colaborativo e dinâmico

À primeira vista pode soar estranho mencionar a edição 2022 do Ranking Connected Smart Cities em um texto nesta coluna há menos de um mês do lançamento da 7ª edição do estudo, em 1º de setembro de 2021, na abertura do evento homônimo, o primeiro em versão híbrida com atividades presenciais e online, entretanto, para nós envolvidos diretamente no projeto, esta é uma situação comum, e faz parte do projeto desde a publicação da primeira edição do Ranking em 2015.

O processo de elaboração do estudo ano a ano passa pela leitura das novas publicações sobre o tema – smart cities; a análise de pesquisas setoriais, no eixo de energia, segurança, e demais eixos que compõe o Ranking; reuniões, workshops e encontros com o poder público e privado de diferentes cidades; pesquisa e análise de novos dados disponibilizados; consulta às sugestões dadas às equipes da Urban Systems e do Connected Smart Cities, enfim, é um esforço de pesquisa que envolve atividades ao longo de todo um ano. A diferença, para a próxima edição, é a sistematização elaborada para esta etapa de interação entre todos os atores envolvidos na discussão e execução dos planos de cidades inteligentes no Brasil.



Tomando como base o sucesso na realização dos Encontros Regionais em 2021, que contou com 25 encontros virtuais discutindo com as capitais brasileiras seus planos de cidades inteligentes e envolvendo o poder público municipal, acadêmicos, empresas privadas, governo estadual e entidades civis, a Urban Systems e a Necta, correalizadoras do Connected Smart Cities, irão realizar em 2022 treze encontros temáticos para discutir os eixos que compõe o estudo do Ranking Connectd Smart Cities, trazendo mais colaboração e mais transparência no processo de sua elaboração.

Em 2015 quando da publicação da primeira edição do Ranking Connected Smart Cities, a pauta em questão não encontrava a receptividade atual, tão pouco contava com tamanha quantidade de especialistas ou profissionais envolvidos neste ecossistema. Passados sete anos, a situação se inverteu por completo, e hoje podemos dizer que não só o tema está inserido no planejamento da maioria das médias e grandes cidades brasileiras, como conta com um rol de empresas e consultores atuando no planejamento e desenvolvimento de soluções para as nossas cidades, utilizando-se ou não de tecnologia.

Importante também pontuar que essa rápida popularização do tema cidades inteligentes também causou um esgotamento do termo “smart city” que acabou sendo empregado de diversas formas em diversas situações, sob diversos preceitos, sem realmente estar se baseando em algo “smart” ou mesmo “city”, podendo ser encontrado como adjetivo em lançamento de loteamentos urbanos, como prefixo em cidades que nada tem de inteligente, ou como adereço ao nome de tecnologias e serviços, enfim, um efeito comum do poder do Marketing mal empregado, que não é o tema deste texto.

Mas esta conceituação se faz necessária, pois, Urban Systems e Necta, cada vez mais são consultadas por diferentes atores do ecossistema para colaborarem, não apenas na discussão dos indicadores, como também, no fornecimento dos dados que comporão o perfil de suas cidades na próxima edição do estudo.

Assim, pré-lançamos em 1º de setembro de 2021 a agenda de encontros temáticos de 2022, que a partir de fevereiro, contará com 11 encontros para discutir cada um dos eixos analisados no Ranking Connected Smart Cities, contando ainda com um primeiro encontro trazendo a contextualização do estudo, seus efeitos nas cidades e especialistas envolvidos em outras pesquisas ou norma técnica, como a ABNT, para apresentar objetivos, diferença e importância de cada iniciativa e um último encontro, trazendo o fechamento do projeto, com as principais colaborações do projeto e antecipando as novidades da edição 2022 do Ranking Connected Smart Cities, novamente, trazendo transparência ao seu desenvolvimento.

Os encontros dos 11 eixos temáticos contarão com especialistas do setor, servidores de órgãos regulatórios e o poder público municipal trazendo iniciativas para melhorar os diferentes eixos que compõem uma cidade inteligente, apresentando seus cases de sucesso e os indicadores utilizados para averiguação da efetividade de suas políticas públicas. Contaremos ainda com bloco de empresas apresentando soluções e um último bloco de interação entre os envolvidos e espectadores, em plataforma digital, abrindo ainda mais a discussão para todos.

Para o sucesso de mais esta empreitada, contamos com a colaboração ativa de todos. Para participar das discussões, inscreva-se já, lembrando também que em 2022 teremos a participação de prefeituras e secretarias no fornecimento de parte dos indicadores de serviços e soluções inteligentes da cidade. Para saber como colaborar entre em contato com imprensa@urbansystems.com.br

Finalizamos relembrando que todo esse esforço tem como objetivo, continuar auxiliando as cidades brasileiras, que são as nossas cidades, a se transformarem em cidades mais inteligentes. Vamos juntos?

As ideias e opiniões expressas no artigo são de exclusiva responsabilidade do autor, não refletindo, necessariamente, as opiniões do Connected Smart Cities 

Willian Rigon
Sócio e diretor comercial e marketing da Urban Systems. Responsável pelo Ranking Connected Smart Cities, estudo elaborado pela Urban Systems em parceria com a Necta, e pela gerência do departamento de inovação da companhia. Atuação como consultor de inteligência de mercado para projetos de desenvolvimento imobiliário e urbano em todo o Brasil, ministrando palestras e cursos sobre os temas de desenvolvimento imobiliário e urbano e cidades inteligentes.
Publicidade
spot_img
spot_img

Últimas Matérias