INVESTIMENTOS EM TECNOLOGIA PARA SAÚDE CRESCEM E SETOR SE BENEFICIA COM FIELD SERVICE

Com a área de Tecnologia da Informação crescendo dentro de instituições e empresas do segmento, especialista explica sobre o papel dos técnicos de TI no segmento

Vivemos na era digital. Não há como negar que a tecnologia está mais onipresente do que nunca. Smartphones, inteligência artificial e o armazenamento em nuvem estão mudando todas as facetas de nossa sociedade, inclusive o setor da saúde. Nos últimos anos, a área tem se transformado profundamente, adotando plataformas e serviços que impactam diretamente na relação das instituições e seus profissionais com os pacientes. A chamada “saúde digital” busca soluções que trazem agilidade para os processos e humanizam o atendimento, fazendo com que o investimento em ferramentas, softwares e metodologias cresça ano após ano. Não à toa, segundo o relatório International Data Corporation, os investimentos tecnológicos para a área na América Latina devem chegar a cerca de R ﹩10 bilhões até o ano de 2022.

Em um setor delicado como o da saúde, a disponibilidade e aplicação destes recursos tem sido essencial para salvar vidas. Diante deste cenário, o setor de Field Service – ou Serviços de Campo, em tradução livre – é um setor que vem garantindo o bom funcionamento dessas ferramentas. Isso se deve, pois, o profissional deste segmento fica encarregado pela implementação de devices tecnológicos de ponta para controle de informações, organização de atendimentos e gestão de segurança de dados dos pacientes.



Para Fábio Freire, CEO e cofundador da FindUP , startup de tecnologia do ramo de Field Service, muito mais que investir em recursos, também é importante que as lideranças de saúde invistam com mais rigor em parceiros com técnicos de TI, de modo a tornar o trabalho mais fluido, seguro e rápido. “A área da saúde possui um volume de informações muito grande e, se comparado com os demais setores, exige uma infraestrutura tecnológica, personalizada e ágil para dar conta da alta demanda. Muito mais do que ter essas ferramentas à disposição, se faz necessário que as gestões tenham técnicos gabaritados para auxiliar na implementação e manutenção desses recursos de forma segura e ágil”, afirma Freire.

O Field Service pode beneficiar o setor da saúde em suas diversas áreas, desde as instituições, laboratórios e clínicas de medicina diagnóstica, até as redes de farmácias. Todas elas contam com um número grande de unidades, dados e dispositivos, indispensáveis para o cuidado. Ao garantir que estes dispositivos sejam regularmente inspecionados e reparados, esses locais podem substituir os equipamentos com menos frequência, economizando dinheiro e tempo. Por isso, contar com um parceiro estratégico que forneça um atendimento personalizado permite o gerenciamento logístico, administração dos insumos e insights importantes para o andamento do trabalho de forma integrada e coordenada.

O Serviço de Campo também tem um papel crucial quando falamos de segurança das informações e controle de riscos. Com as ondas de ataques cibernéticos crescendo em diversos setores da economia, surgiram pontos de atenção acerca do assunto. Não ter uma equipe de TI bem estruturada na área da saúde não só resulta na demora para a resolução de qualquer assunto da instituição, como também traz riscos para os próprios pacientes, que acabam tendo seu diagnóstico e tratamento prejudicado.

Contudo, engana-se quem pensa que o Field Service serve apenas para a instalação de aparelhos ou resoluções de chamadas de TI. Com o surgimento de novas tecnologias, o setor também se modernizou e tem conseguido trazer ferramentas poderosas para auxiliar os parceiros. Um bom exemplo disso é o uso de tecnologias como Machine Learning, Big Data e Inteligências Artificiais para a otimização da performance e melhorias na experiência dos serviços prestados.

“Por meio dessas tecnologias, as empresas parceiras são capazes de coletar e analisar dados, a fim de detectar padrões e possíveis pontos fracos de uma determinada área.Com isso, é possível mapear as providências necessárias e se antecipar a problemas”, finaliza Fábio.

Com informações da Assessoria de Imprensa

CLIQUE AQUI E ACESSE OUTRAS MATÉRIAS SOBRE SAÚDE
Publicidade
spot_img
spot_img

Últimas Matérias