EDIÇÃO DA INTERCONTINENTAL ACADEMIA SOBRE ‘INTELIGÊNCIA E INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL’ COMEÇA EM 13 DE JUNHO

“Inteligência e Inteligência Artificial” é o tema da quarta edição da Intercontinental Academia (ICA4), com Sessão de Abertura online de 13 a 18 de junho. As demais sessões acontecerão em outubro em Paris, França, e em junho de 2022 em Belo Horizonte.

A Intercontinental Academia é um projeto da Ubias, rede internacional de institutos de estudos avançados vinculados a universidades. Cada edição é organizada por dois IEAs de diferentes continentes. A ICA4 é uma realização do Instituto de Estudos Avançados Interdisciplinares (Ieat) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e do Instituto de Estudos Avançados de Paris (integrante da Rede Francesa de IEAs).

O objetivo da Ubias desde que implantou o projeto em 2015 tem sido criar redes globais de futuros líderes de pesquisa, para que trabalhem juntos em mudanças de paradigmas e pesquisas transdisciplinares sob a mentoria de eminentes pesquisadores de várias parte do mundo.



Segundo os organizadores da ICA4, a edição irá explorar questões interdisciplinares fundamentais na intersecção da ciência cognitiva, neurociência e inteligência artificial (IA).

Ao ressaltar a importância do tema da edição, eles destacam que avanços decisivos têm ocorrido nas últimas décadas na análise da atividade cerebral e sua contraparte comportamental, bem como nas ciências de processamento de informações. “Complementaridades entre neurociência/ciência cognitiva e IA possibilitam a exploração de sinergias e levantam questões éticas entre essas disciplinas, que envolvem desafios e oportunidades enormes para o progresso da sociedade.”

Em paralelo a Sessão 2, programada para junho de 2022, em Belo Horizonte, serão realizada uma Sessão Satélite na UFMG, com conferências e mesas-redondas e a participação de mentores da ICA4 e outros convidados do meio acadêmico e do setor produtivo, com transmissão ao vivo pela internet.

Alguns dos temas dessa sessão serão: “Fundamentos e Ética da IA”, “Inteligência e Racionalidade”, “Cognição e Neurociências”, “Explorações Interdisciplinares da IA” e “IA e Ciências da Saúde”.

Selecionados

Dos 60 candidatos a participar da 4ª ICA  (23 deles brasileiros), foram escolhidos 19 pesquisadores atuantes em universidades e institutos de pesquisa do Brasil, Alemanha, França, Reino Unido, Polônia, Estados Unidos, Japão, África do Sul, Israel e Países Baixos. As áreas de pesquisa dos selecionados incluem matemática, computação, engenharia, direito, filosofia, linguística, neurociência e história.

Os três brasileiros selecionados são: o cientista de computação André Fujita (indicado pelo IEA-USP), professor associado do Departamento de Computação do Instituto de Matemática e Estatística (IME) da USP; a  professora associada Patricia Coelho de Soárez (com inscrição independente), do Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina (FM) da USP, especialista em avaliação tecnológica e econômica em saúde e em modelos de análise de decisão; e o linguista computacional Evandro Cunha (indicado pelo Ieat), professor da Faculdade de Letras da UFMG.

A expectativa de Fujita é participar de intensas discussões filosóficas e científicas com os demais participantes e obter “estímulos e inspiração” para tornar mais vigoroso o Programa de Pós-Graduação em Bioinformática da USP, por ele coordenado.

Fujita ressalta que a bioinformática é um campo interdisciplinar integrado por pesquisadores em matemática, ciência da computação, física, química, biologia, medicina e engenharia, entre outras. “As pessoas costumam definir a bioinformática como o estudo de big data de áreas da biologia com o uso de técnicas computacionais. Penso que poderíamos definir a bioinformática como o campo que usa inteligência artificial para descobrir como células e seres aprendem ou adquirem inteligência.”

A proposta para a ICA4 de Patrícia, que integra o Grupo de Estudos em Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde, é a adoção de um ponto de vista holístico na avaliação das contribuições da IA nos cuidados com a saúde, incluindo os impactos econômicos, éticos e sociais. De maneira mais específica, seu interesse são as implicações da incorporação da IA em políticas de saúde, processos de tomada de decisão e na igualdade do sistema de saúde brasileiro.

Entre suas expectativas em relação à ICA4 estão obter subsídios para o desenvolvimento de um projeto de pesquisa interdisciplinar sobre a importância da IA para a tomada de decisão em saúde.  Ela espera também aprender sobre procedimentos aplicáveis e ferramentas necessárias para ampliar o impacto de suas pesquisas e alavancar o desenvolvimento de sua carreira como líder de pesquisa.

O principal interesse de pesquisa de Cunha é a comunicação mediada por computador e o uso de métodos computacionais para a solução de problemas linguísticos, especialmente aqueles relacionados com linguística histórica, revitalização de línguas ameaçadas e neurociência da linguagem.

Na ICA4, ele pretende discutir as aplicações da ciência da linguagem em IA e os efeitos da tecnologia na comunicação humana, principalmente no que diz respeito à manipulação, extremismo e disseminação de desinformação no cenário corrente de pandemia e crise climática.

Mentoria

Os participantes contarão com o apoio de 17 mentores, todos eminentes pesquisadores de reconhecimento mundial em várias áreas científicas, filosofia e artes. Entre eles figuram a bióloga molecular Ada Yonath, do Instituto Weizmann, de Israel, Prêmio Nobel de Química de 2009; o economista Robert Aumann, ganhador do Prêmio Nobel de Economia de 2005, professor da Universidade Hebraica de Jerusalém, de Israel; o astrofísico e cosmólogo Martin Rees, Astrônomo Real Britânico e cofundador do Centro para o Estudo de Risco Existencial da Universidade de Cambridge; o neurologista e neurocientista António Damásio, especialista nos processos mentais subjacentes às emoções, aos sentimentos e à consciência; a cientista de computação Timnit Gebru, cofundadora do Black in AI, organização de apoio a pesquisadores e profissionais negros de IA, e uma das ex-líderes da equipe de pesquisa em inteligência artificial ética do Google; e o artista Zaven Paré, dedicado às novas mídias e robótica e colaborador do Programa de Pós-Graduação em Artes, Cultura e Linguagens da Universidade Federal de Juiz de Fora.

Os coordenadores da ICA4 são: Guilherme Ary Plonski, diretor do IEA e até recentemente coordenador do Conselho Diretivo da Ubias; Estevam Barbosa de Las Casas, diretor do Ieat-UFMG; Eliezer Rabinovici, professor do Instituto de Física da Universidade Hebraica de Jerusalém e proponente do projeto Intercontinental Academia; e Olivier Bouin, diretor da Rede Francesa de IEAs e novo coordenador do Conselho Diretivo da Ubias.

Com informações da Assessoria de Imprensa da IEA-USP

Publicidade
spot_img
spot_img

Últimas Matérias