GOVERNO FEDERAL PROMOVE DIGITAL DAY PARA DEMONSTRAÇÃO DO 5G PURO

O Digital Day da Semana Nacional das Comunicações termina hoje (07) e conta com a participação de empresas do setor para a demonstração do 5G 

O Brasil está a poucos passos de ter acesso à mais nova tecnologia de internet móvel do mundo, que é o 5G, uma evolução da atual conexão em 4G. Durante o Digital Day da Semana Nacional das Comunicações, que começou na segunda (5) e termina hoje (7), empresas demonstram várias aplicações e possibilidades da tecnologia 5G no Salão Negro do Congresso Nacional. Devido às restrições de segurança decorrentes da pandemia do novo coronavírus, o evento será exclusivo para convidados e servidores da Casa.

O Digital Day é o primeiro evento no país de exposição dos usos do modelo mais avançado do 5G, o standalone, ou “5G puro”, que será realidade no Brasil após o leilão de frequência da tecnologia, realizado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e previsto para acontecer em julho deste ano.



Segundo o ministro Fábio Faria, o 5G vem para transformar a maneira como os brasileiros vão se relacionar com a internet; e, no caso do modelo standalone, as possibilidades vão além: “Nós estamos vivendo a década do 4G. Essa tecnologia revolucionou a vida das pessoas, conectou pessoas. O 5G vai revolucionar a indústria, vai conectar a indústria brasileira, teremos um salto de qualidade e no agronegócio, por exemplo, nós iremos aumentar 20% ao ano o PIB do agro. Nós iremos melhorar nossa segurança, nós teremos telemedicina”.

O que será possível com o 5G standalone?

Por possibilitar conexão de velocidade ultrarrápida e mais estável, o 5G standalone, que é a versão mais evoluída atualmente da rede 5G, promete avanços tecnológicos tais como: na área da telemedicina, um especialista poderá realizar uma cirurgia remota, por um dispositivo conectado à internet; na área de transportes, haverá veículos seguros que dispensam motoristas (os carros autônomos); na área da educação, haverá aulas integrando elementos virtuais ao mundo real (ou tecnologia de realidade aumentada); e na área da segurança, serão possíveis melhorias no monitoramento e vigilância em tempo real.

A rede 5G já existe em alguns países, como Alemanha, Estados Unidos, China e Japão, onde ela segue sendo desenvolvida. No Brasil ela será estreada após o leilão da frequência, e por isso a população vai contar também com a versão mais atualizada da tecnologia.

O leilão, promovido pela Anatel, é o primeiro passo para que a tecnologia seja adotada e comercializada no país. O edital do leilão, que já foi aprovado pela Anatel, prevê que o 5G funcione em todas as unidades da federação até julho do ano que vem.

Agora o processo está em análise do TCU. A expectativa, destaca o ministro Fábio Faria, é que em breve os brasileiros desfrutem das possibilidades da tecnologia: “Teremos leilão do 5G neste ano e, até julho do ano que vem, todas as 27 capitais do Brasil terão 5G. Hoje 82% das pessoas têm internet. Até 2028 vamos levar internet a todos os brasileiros através das obrigações do leilão do 5G – as estradas e todas as localidades acima de 600 habitantes receberão 4G”.

Diferença entre o 5G e o 4G

A principal distinção entre as tecnologias de rede móvel diz respeito à velocidade e latência. A velocidade mais alta que o 4G é capaz de oferecer chega próximo a 100 Mbps. O 5G, por sua vez, pode alcançar uma velocidade entre 1 e 10 Gbps, o que representa uma velocidade 100 vezes maior entre uma tecnologia e outra.

Quanto à latência, que é o tempo de resposta na conexão entre o aparelho e as aplicações utilizadas, o 5G oferece um tempo mais baixo do que o 4G. Isso significa que durante uma videoaula ou videoconferência, a transmissão ocorrerá com menos interrupções e quedas do sinal, proporcionando uma conexão mais estável e sem delay.

Além disso, outra diferença determinante do 5G em relação às gerações anteriores é a possibilidade de conectar milhares de aparelhos ao mesmo tempo em uma mesma antena, sem comprometer a recepção do sinal.

Dessa forma, será possível ter mais experiências com a “internet das coisas”: em casa, será possível conectar na mesma rede a televisão, a geladeira, o armário, o chuveiro, o celular e o automóvel. Esses aparelhos poderão produzir informações importantes para o usuário começar o dia com notícias, lista de compras do mercado e de roupas que precisam ser lavadas e as melhores rotas para chegar ao trabalho, por exemplo.

Com informações do Ministério das Comunicações 

CLIQUE AQUI E ACESSE OUTRAS MATÉRIAS RELACIONADAS

Publicidade
spot_img
spot_img

Últimas Matérias