DADOS DA VISA MOSTRAM QUE OS PAGAMENTOS POR APROXIMAÇÃO NO METRÔRIO CRESCEU 60% EM UM ANO

Usuários que testaram a tecnologia de pagamento Visa por aproximação pela primeira vez no MetrôRio usam o método com mais frequência

Uma análise da Visa confirma a tese de que o transporte público pode ser um grande impulsionador do uso de pagamentos por aproximação, tendência que se torna cada vez mais importante à medida que operadores de transporte público e consumidores procuram menos pontos de contato físicos em meio à pandemia. A análise foi realizada entre janeiro de 2019 e agosto de 2020, e mostra que o uso do pagamento por aproximação cresceu regularmente nas 41 estações do metrô da cidade do Rio de Janeiro. Em agosto de 2020, o índice de uso médio dos pagamentos por aproximação Visa no MetrôRio era de 22%, contra 14% em agosto de 2019, o que significa que a penetração da tecnologia cresceu quase 60% em apenas um ano.

Os dados também mostraram que as pessoas que pagaram por aproximação pela primeira vez nas catracas do MetrôRio usaram essa forma de pagamento com mais frequência do que as que começaram a usar a tecnologia em outros tipos de estabelecimentos comerciais. Estima-se que 42% dos consumidores que conheceram os pagamentos por aproximação por meio do MetrôRio usam a tecnologia mais de cinco vezes nos 90 dias seguintes em suas compras de rotina. Por outro lado, só 23% dos consumidores que conheceram a tecnologia fora do transporte público fizeram mais de cinco pagamentos por aproximação nos 90 dias seguintes.



“Usuários do metrô perceberam imediatamente os benefícios do uso dos pagamentos por aproximação nas catracas, como economia de tempo, aumento de segurança e de conveniência, sem falar da fluidez no embarque. A facilidade de uso levou os usuários a adotarem esta forma de pagamento em outros momentos de seu dia e com uma variedade de novos tipos de estabelecimentos comerciais. Hoje, mais de 90% dos terminais já aceitam pagamentos por aproximação no Brasil”, diz Marcelo Sarralha, head de Soluções de Mobilidade Urbana da Visa do Brasil.

Dados do MetrôRio apontam que o índice de recorrência dos seus usuários é superior a 90%. Isso significa que, após o primeiro uso, 9 em 10 pessoas continuam usando o pagamento por aproximação em outras viagens. No início do projeto, somente eram aceitas transações de crédito. Alguns meses depois, a Visa e o MetrôRio incluíram transações com cartões de débito e pré-pagos, o que permitiu que mais pessoas tivessem acesso à solução e popularizou o uso dos pagamentos por aproximação no metrô da cidade.

A análise da Visa também mostra que há indícios de queda no uso de caixas eletrônicos desde a implementação da tecnologia de pagamento por aproximação no MetrôRio. “Muito desse sucesso está relacionado aos esforços de orientação e às campanhas de marketing para informar claramente como usar a tecnologia e quais os seus benefícios. É importante notar que a tecnologia de pagamento por aproximação implementada no MetrôRio baseia-se no padrão internacional EMV e usa os mesmos protocolos de segurança que uma transação de chip com contato, a mais avançada e amplamente adotada segurança de pagamento por criptografia”, complementa Serralha.

A tendência no Rio é vista no restante do país. A comparação de dezembro de 2020 com o mesmo mês em 2019 mostra que os pagamentos por aproximação com credenciais Visa no Brasil cresceram 5x mais, confirmando que a pandemia acelerou a busca por pagamentos mais seguros, rápidos e limpos. O aumento no uso desse tipo de pagamento levou a indústria de cartões a elevar de R﹩50,00 para R﹩200,00 o valor dos pagamentos por aproximação que podem ser realizados sem a senha. Globalmente, a Visa ajudou a aumentar os limites de transações por aproximação em mais de 60 países, permitindo que os consumidores façam compras maiores com um toque de forma simples e segura.

A solução de pagamento por aproximação implantada no MetrôRio foi desbravada no Lab Garage da Visa, em São Paulo, um espaço onde os projetos de mobilidade urbana da Visa do Brasil – em áreas como pedágio, estacionamento e transporte público – são idealizados, desenvolvidos e customizados. Graças ao sucesso dessa iniciativa no Rio e em outras cidades do Brasil, o Lab Garage se tornou um hub de Inovação em Mobilidade Urbana para toda a América Latina e o Caribe.

“A Visa está trabalhando de forma muito próxima com governos, emissores e operadores de transporte em toda a América Latina para melhorar os sistemas e a experiência do consumidor por meio da digitalização. Hoje, na América Latina, os consumidores podem usar o cartão de pagamento por aproximação para pagar uma viagem de metrô, trem e balsa no Rio de Janeiro, de ônibus em São Paulo, Santo Domingo (República Dominicana) e também na Guatemala, enquanto os usuários de transporte público de Cali, na Colômbia, estão prestes a se beneficiar dessa mesma experiência. A Visa está comprometida em melhorar a maneira como as pessoas se deslocam nas cidades”, conclui Sarralha.

Para mais informações sobre a estratégia de mobilidade urbana da Visa e a história de sucesso do MetrôRio, consulte o documento disponível neste link .

Metodologia do estudo

Esta análise foi desenvolvida pela equipe de Marketing Analytics & Data Science da Visa América Latina, usando uma metodologia de correspondência multivariada para avaliar o impacto do uso dos pagamentos por aproximação no sistema de metrô da cidade do Rio de Janeiro e o comportamento de novos e velhos usuários da tecnologia entre abril de 2019 e agosto de 2020.

Com informações da Assessoria de Imprensa 

Publicidade
spot_img
spot_img

Últimas Matérias