RECIFE ARTICULA COM EMPRESAS E PESQUISADORES REDE DE ABASTECIMENTO PARA CARROS ELÉTRICOS

Projeto E-lounge desenvolverá solução para recarga rápida em veículos elétricos e conta com apoio da Aneel e o Grupo da Baterias Moura

De olho no futuro e na utilização de energia limpa para o abastecimento de veículos, a Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, tem se articulado com o Grupo Moura (Baterias Moura), a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), EDP Brasil (holding do setor elétrico) e EDP Smart para tratar do projeto E-lounge. O objetivo é expandir a infraestrutura de eletromobilidade urbana na cidade, com um novo modelo de postos de reabastecimento de veículos com o oferecimento de recarga rápida para veículos elétricos, além de disponibilidade de serviços associados como redução da emissão de gases que causam o efeito estufa. A proposta tem o apoio do Programa de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Atualmente, existe na cidade 350 veículos híbridos e 49 elétricos. “Recife tem o compromisso de tornar seu território carbono neutro até 2050. Por isso, iniciamos as conversas com esses importantes parceiros, visando desenvolver e difundir novas tecnologias e, ao mesmo tempo, reduzir a emissão de gases de efeito estufa para atenuar as mudanças climáticas”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, Rafael Dubeux.



Recife é pioneira em ações de proteção ao meio ambiente. A capital pernambucana foi a primeira cidade brasileira a reconhecer oficialmente a emergência climática global instituindo o Decreto Nº 33.080, de 2019, durante a 1ª Conferência Brasileira de Mudanças Climáticas, realizada na cidade. No mesmo ano, a Prefeitura publicou um estudo que mapeou suas principais ameaças climáticas: a Análise de Riscos e Vulnerabilidades Climáticas e Estratégia de Adaptação do Município do Recife.

Esse levantamento serviu como base para a elaboração do Plano Local de Ação Climática do Recife (PLAC). Desenvolvido em parceria com o ICLEI – Governos Locais pela Sustentabilidade, organismo ligado à Organização das Nações Unidas (ONU) -, e publicado em 2020, o PLAC apresenta toda a estratégia da Prefeitura, visando atingir a meta de tornar a cidade do Recife um território Carbono Neutro até 2050.

Em 2020, Recife foi reconhecida como uma das 88 cidades globais integrantes da “Lista A” do Carbon Disclosure Program (CDP), programa sem fins lucrativos que destaca iniciativas para reduzir emissões e atenuar os efeitos da mudança do clima. A avaliação do CDP, baseou-se em dados levantados no ano de 2019, que levaram em conta o compromisso do município com a transparência e a avaliação do posicionamento sustentável em práticas de adaptação, mitigação e metas ambiciosas. Além do Recife, apenas o Rio de Janeiro também integra a Lista A.

Outra preocupação do município é com a formação das gerações futuras para que se tornem defensoras do meio ambiente. Por isso, desde 2020, as escolas públicas de sua rede de ensino tiveram incluídas como tema transversal a sustentabilidade e mudanças climáticas em sua grade curricular.

Além disso, no Recife também se destaca a iniciativa do Parque Capibaribe, um sistema de parques integrados que se estenderá por 30 quilômetros ao longo do Rio Capibaribe, indo desde a BR-101 até o centro -, promovendo a renaturalização das margens do rio e implantação de um sistema de mobilidade com passeios e ciclovias, além de revelar paisagens locais com áreas de estar, passarelas e píeres para pequenas embarcações.

Para isso, mais um passo foi dado, com o início das obras do Parque das Graças, na última semana. Todo projeto do Parque Capibaribe beneficiará mais de 500 mil pessoas que vivem em pelo menos 44 bairros, tornando o município numa cidade-parque até 2037, ano em que completa 500 anos.

Com informações da Prefeitura do Recife 

Publicidade
spot_img
spot_img

Últimas Matérias