BRASIL ATINGE MARCA DE 500 MIL UNIDADES CONSUMIDORAS DE GERAÇÃO DISTRIBUÍDA FOTOVOLTAICA

Segmento é composto por sistemas de microgeração (até 75 kW) e minigeração (entre 75kW e 5 MW) e abastece residências, comércios, indústrias, propriedades rurais e prédios públicos do país

O Brasil atingiu a marca de 500 mil unidades consumidoras (UCs) usando geração distribuída fotovoltaica (GDFV). De acordo com a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR) o país tem mais de 511 mil UCs, somando as fontes solar, eólica, hidráulica e térmica. Conforme a entidade, 400 mil sistemas de geração solar na geração distribuída somam R$ 23,1 bilhões e atendem cerca de 500 mil consumidores.

A ABSOLAR afirma que essa é uma marca importante, que reflete o esforço de todo o segmento de GDFV para tornar o Brasil mais sustentável. O segmento é composto por sistemas de microgeração (até 75 kW) e minigeração (entre 75kW e 5 MW) e abastece residências, comércios, indústrias, propriedades rurais e prédios públicos do país.

O ranking estadual de GDFV é liderado por Minas Gerais, com 862,9 MW de potência instalada. São Paulo (585,1 MW), Rio Grande do Sul (576,5 MW), Mato Grosso (345,6 MW) e Paraná (284,6 MW) completam as cinco primeiras posições.

“Embora tenha avançado nos últimos anos, o Brasil, detentor de um dos melhores recursos solares do planeta, continua com um mercado solar ainda pequeno e muito aquém de seu potencial. Há mais de 85 milhões de consumidores de energia elétrica no país, porém apenas 0,5% faz uso do sol para produzir eletricidade”, afirma o presidente do Conselho de Administração da ABSOLAR, Ronaldo Koloszuk.

Segundo o CEO da ABSOLAR, Rodrigo Sauaia, a energia solar terá função cada vez mais estratégica para o atingimento das metas de desenvolvimento social, econômico e ambiental do Brasil, inclusive ajudando na retomada sustentável da economia, por ser a fonte renovável que mais gera emprego e renda no mundo.

“A energia solar fotovoltaica reduz o custo de energia elétrica da população, aumenta a competitividade das empresas e desafoga o orçamento do poder público, beneficiando pequenos, médios e grandes consumidores do país. O setor solar fotovoltaico trabalha para acelerar a expansão renovável da matriz elétrica brasileira, a preços competitivos. Somos a fonte renovável mais barata do Brasil e ajudaremos o país a crescer com cada vez mais competitividade e sustentabilidade”, aponta Sauaia.

Com informações do Info Solar 

Publicidade

Últimas Matérias

BRASIL TEM GRANDE POTENCIAL PARA AVANÇAR NO TRANSPORTE METROFERROVIÁRIO

Apenas 13 regiões metropolitanas no País, de um total de 63 de médio e grande porte, contam com malhas metroferroviárias Focada na mobilidade sustentável e...

TRANSFORMAÇÃO DIGITAL, COLABORAÇÃO E O FUTURO DAS CIDADES

A vida urbana é transformada pela proliferação de novos serviços disponibilizados por meio de aplicativos ou plataformas de economia compartilhada A cidade é um fenômeno...

LITORAL NORTE DA BAHIA TERÁ PROJETO DE CIDADE INTELIGENTE E SUSTENTÁVEL

O empreendimento de 1.000 hectares localizado em Entre Rios (BA) será replicado na Europa Aguaduna, a primeira de uma nova geração de cidades inteligentes e...

BASE DE DADOS DOS DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA ATUALIZA DADOS NA ÁREA DA EDUCAÇÃO, EM ENSINO SUPERIOR

Dados apontam que o município de Cubatão possui o maior número de estudantes com deficiência Para possibilitar a indução de políticas públicas, construção de novas ações...

CAMPO GRANDE: REQUALIFICAÇÃO DE AVENIDA É FINALISTA EM CONCURSO INTERNACIONAL DE INOVAÇÃO URBANA

O projeto “Requalificação da área central – um novo espaço público em Campo Grande”, ficou entre os dez finalistas do primeiro Concurso de inovação...