LONGEVIDADE EM SMART CITIES

Como cidades humanas, resilientes e inclusivas devem se adaptar ao cenário do envelhecimento crescente da população.

 

De acordo com a segunda edição do Índice de Desenvolvimento Urbano para Longevidade (IDL), mais da metade dos 876 municípios analisados não estão adequados para o envelhecimento crescente da população. Simultaneamente a isso, com o avanço da medicina e políticas que melhoram a qualidade de vida, o Brasil passa por um processo acelerado de envelhecimento da população e, cada vez mais, as cidades precisam se adaptar a essa nova realidade.

A edição do Índice de 2020, destacou a cidade de São Caetano do Sul (SP) como a cidade mais preparada do país para se viver mais tempo com uma melhor qualidade de vida. Segundo a pesquisa, o município ganha destaque nos eixos de bem-estar, finanças e habitação: foram analisados 50 indicadores divididos em sete variáveis (cuidados de saúde; bem-estar; finanças; habitação; cultura e engajamento; educação e trabalho; e indicadores gerais).

O índice se tornou uma ferramenta para as cidades desenvolverem políticas de adaptação a essa nova realidade. De acordo com Willian Rigon, Diretor Comercial e Marketing e Sócio da Urban Systems e Connected Smart Cities, a realidade brasileira, contudo, ainda possuí diversas particularidades: “Saneamento básico não é mais uma preocupação de países Europeus, por exemplo, assim como a mortalidade infantil, que, infelizmente, traz o Brasil para as primeiras posições. É importante falar de longevidade, porém não podemos esquecer dos problemas de base como saneamento, acesso a água, tratamento de esgoto e mortalidade infantil”.

Nesse contexto, é preciso pensar que uma cidade inteligente envolve recursos tecnológicos, institucionais e humanos, conseguindo alcançar melhores resultados reduzindo custos e esforços. Smart Cities são aquelas que utilizam de ferramentas tecnológicas para se tornarem mais acessíveis com seus idosos, deficientes, mulheres, crianças, trabalhadores e trabalhadoras, negros e indígenas e etc. A longevidade deve ser abordada a partir de uma ótica que reconheça os problemas mais urgentes do país, ao mesmo tempo que trabalha simultaneamente soluções inovadoras para o envelhecimento crescente da população.

Avatar
Beatriz Faria
Especialista em Conteúdo da Necta - Conexões com Propósito
Publicidade

Últimas Matérias

TECNOLOGIA VOLTADA PARA O SANEAMENTO

A falta de acesso a rede de água e esgoto é ainda um dos principais desafios para as cidades brasileiras. Entenda como a tecnologia...

VITÓRIA: EVENTO REÚNE ESPECIALISTAS PARA DEBATER SOBRE SMART CITIES

O evento acontece em formato virtual e apresentará o Plano de Cidades Inteligentes para a capital capixaba, 5ª cidade mais conectada do País, de...

PROBLEMAS SAZONAIS X SOLUÇÕES PONTUAIS: O ERRO HABITUAL DOS PLANOS DE GOVERNO LOCAIS

Seria muito bom viver em cidades que criaram soluções criativas para lidar com os novos desafios  Aconteceu algo muito ruim na minha cidade natal: o...

ABES E BRAZILLAB FECHAM PARCERIA PARA ESTIMULAR INOVAÇÃO NO SETOR PÚBLICO

Participantes terão acesso gratuito, por um período de seis meses, aos serviços e experiência da Associação nas áreas jurídica, regulatória, tributária e mercadológica A ABES...