FIM DOS LIXÕES: 23 CONSÓRCIOS PÚBLICOS SÃO HABILITADOS A RECEBER APOIO FEDERAL NA ESTRUTURAÇÃO DE CONCESSÕES DE MANEJO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS

Do total de 41 consórcios inscritos, 23 foram habilitados, abrangendo 304 municípios em oito estados – Bahia, Espírito santo, Minas Gerais, Mato Grosso, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo – e totalizando 9,9 milhões de habitantes beneficiados

Foi publicado nesta quinta-feira (1/10) o resultado do Chamamento Público nº 01/2020, com a lista dos consórcios públicos intermunicipais habilitados a receber suporte do Fundo de apoio à estruturação e ao desenvolvimento de concessões e PPP a entes subnacionais – FEP para realizar projetos de concessões comuns de serviços de manejo de Resíduos Sólidos Urbanos (RSU).
Do total de 41 consórcios inscritos, 23 foram habilitados, abrangendo 304 municípios em oito estados – Bahia, Espírito santo, Minas Gerais, Mato Grosso, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo – e totalizando 9,9 milhões de habitantes beneficiados.
A lista dos consórcios habilitados está disponível em https://bit.ly/2Sga8WX. Eles serão convocados conforme ordem de classificação e disponibilidade de recursos federais do FEP.

CRITÉRIOS

Foram consideradas elegíveis as propostas em benefício de consórcios públicos legalmente constituídos visando soluções regionais para o manejo dos RSU e que atendessem entre dois e 20 municípios contíguos totalizando mais de 300 mil habitantes.

Estados, Distrito Federal e os próprios Consórcios Públicos puderam apresentar propostas, que também deveriam considerar o compromisso de cobrança pela prestação dos serviços após a estruturação da futura concessão.

Quanto à hierarquização, o processo buscou priorizar propostas que beneficiassem maior número de habitantes; que incluíssem municípios com cobrança de taxa ou tarifa já instituída, maiores déficits na prestação do serviço e/ou que apresentassem Plano Municipal ou Plano Regional Integrado de Manejo de RSU.

A aderência à regionalização proposta no Plano Estadual de Gestão Integrada de RSU, obtenção de licenciamento ambiental prévio das estruturas de tratamento ou destinação final de RSU e o maior percentual de contrapartida ofertada pelo proponente em relação ao valor do contrato também foram considerados na priorização.

SERVIÇOS DIVISÍVEIS

O Chamamento Público nº 01/2020 foi publicado em 16/4, com base na resolução 22/2019 do Conselho de Participação no FEP, com o objetivo de apoiar a estruturação de concessões das atividades de manejo de resíduos de origem domiciliar ou similares.

Esse conjunto de atividades corresponde aos chamados “serviços divisíveis”, que abrangem a coleta, transbordo, transporte, triagem para reutilização ou reciclagem, tratamento e disposição final ambientalmente adequada.

Os projetos serão custeados com recursos da Secretaria Especial do Programa de Parcerias de Investimentos – SPPI/ME no Fundo FEP. A Caixa é a responsável pela administração do fundo e pela estruturação dos projetos, prestando todo o assessoramento técnico aos consórcios até a licitação das concessões.

A iniciativa também conta com o apoio do Ministério do Desenvolvimento Regional  (MDR) e do Ministério do Meio Ambiente (MMA).

SOLUÇÃO INOVADORA

A estruturação dos projetos selecionados em 2020 representa a continuidade do apoio do FEP ao setor de manejo de resíduos sólidos por meio da estruturação de concessões comum, uma iniciativa inovadora no país e que busca garantir a sustentabilidade econômica e ambiental dos projetos.

O FEP iniciou suas atividades em 2018 com o apoio a cinco projetos piloto realizados em dois municípios – Teresina/PI e Bauru/SP – e dois consórcios públicos intermunicipais – o CONVALE/MG (composto por Uberaba e outros 7 municípios do Vale do Rio Grande mineiro) e o COMARES-UC/CE (reunindo Juazeiro do Norte, Crato, Barbalha e outros 7 municípios cearenses), além de projeto de concessão integrada dos serviços de manejo de resíduos, abastecimento de água e esgotamento sanitário em São Simão/GO.

Os projetos estão em sua fase final de estruturação, sendo que CONVALE/MG já está em consulta pública e deve ser licitado até o final de 2020. Os outros três projetos entrarão em consulta pública entre o final de 2020 e o primeiro trimestre de 2021.

Fonte: PPI 

Últimas Matérias

LONGEVIDADE EM SMART CITIES

Como cidades humanas, resilientes e inclusivas devem se adaptar ao cenário do envelhecimento crescente da população.   De acordo com a segunda edição do Índice de...

ARTIGO PAULA FARIA – EMBAIXADORA MOBILIDADE ESTADÃO: ENCURTAR DISTÂNCIAS É UM DOS GRANDES DESAFIOS DA MOBILIDADE

Mais que melhorar a experiência ou a rapidez com que as pessoas atravessam a cidade, mobilidade urbana significa acesso a oportunidades *Por Paula Faria  “Como sair...

CENSO MOSTRA QUE ENSINO A DISTÂNCIA GANHA ESPAÇO NO ENSINO SUPERIOR

Em 2009, as matrículas dos calouros em EaD representavam 16,1% do total. Em 2018, elas representavam 39,8% do total de estudantes que ingressaram nas...

SMART MOBILITY

Com a pandemia do coronavírus, soluções de mobilidade individual se tornaram mais atrativas De acordo com dados da Associação Nacional dos DETRANS, o Brasil possui uma...

PROJETO DO GOVERNO CRIA MARCO LEGAL DAS STARTUPS E DO EMPREENDEDORISMO INOVADOR

Os objetivos do governo com a proposta incluem fomentar esse ambiente de negócios; aumentar a oferta de capital para investimento em startups; e disciplinar...