PARQUES TECNOLÓGICOS

Como os Parques Tecnológicos funcionam como hub que potencializa o ecossistema de inovação local 

Um parque tecnológico é um ambiente onde coexistem diversas empresas de diferentes segmentos, mas que utilizam a tecnologia como principal ponto focal de seus negócios. Neste sentido, se diferem de distritos industriais por estarem voltadas para à inovação, além de estabelecerem estratégias de integração entre as empresas, universidades e governo para apoiar a competitividade e inovação nas cidades.  

O Connected Smart Cities & Mobility Digital Xperience contou com um painel para falar sobre Pólos de Desenvolvimento Econômico e Regiões Inteligentes, abordando a nova geração de Parque Tecnológico como ´hub´ para potencializar o ecossistema de inovação local. 

Durante o painel, o Secretário de Desenvolvimento do Parque Tecnológico de Santo André, Evandro Banzato, destacou que a missão primordial do Parque é aproximar e conectar a oferta de serviços tecnológicos e as demandas necessárias para promover a inovação e competitividade nas empresas. Isso estimula a extensão tecnológica nas instituições de ensino superior tanto pela competitividade como pela possibilidade de atuação consorciada entre as Instituições.

O Fundador da Ikone, Marcos Roberto Moura Dubeux, trouxe uma visão sobre o Nordeste que ressalta a vulnerabilidade da região dentro dos Indicadores de Desenvolvimento Social. Pensando na importância que a extensão tecnológica possui para a prosperidade das cidades, torna-se essencial o desenvolvimento de clusters produtivos em regiões como o Nordeste. 

Dentro deste contexto, é preciso que Municípios fomentem a inovação. O programa U-Start, segundo a Gestora do Parque Tecnológico de Uberaba, Raquel Resende, é um modelo que busca fomentar o desenvolvimento de startups a partir dos pilares: Políticas Públicas; Fast Track; Capacitação; Visibilidade; Infraestrutura.

Promover esse ambiente para o desenvolvimento de C&T, além de incentivar a cultura da inovação, é parte do que consiste uma smart city. Um dos principais desafios, de acordo com o Presidente do Parque Tecnológico de Sorocaba, Roberto Freitas, é criar um ambiente propício à interação entre Universidades e Empresas: é preciso desenvolver uma  Formação de Pessoas com Foco nas Competências e Habilidades Empreendedoras.

Confira a discussão completa sobre Parques Tecnológicos aqui.

 

Beatriz Faria
Especialista em Conteúdo da Necta - Conexões com Propósito

Últimas Matérias

LONGEVIDADE EM SMART CITIES

Como cidades humanas, resilientes e inclusivas devem se adaptar ao cenário do envelhecimento crescente da população.   De acordo com a segunda edição do Índice de...

ARTIGO PAULA FARIA – EMBAIXADORA MOBILIDADE ESTADÃO: ENCURTAR DISTÂNCIAS É UM DOS GRANDES DESAFIOS DA MOBILIDADE

Mais que melhorar a experiência ou a rapidez com que as pessoas atravessam a cidade, mobilidade urbana significa acesso a oportunidades *Por Paula Faria  “Como sair...

CENSO MOSTRA QUE ENSINO A DISTÂNCIA GANHA ESPAÇO NO ENSINO SUPERIOR

Em 2009, as matrículas dos calouros em EaD representavam 16,1% do total. Em 2018, elas representavam 39,8% do total de estudantes que ingressaram nas...

SMART MOBILITY

Com a pandemia do coronavírus, soluções de mobilidade individual se tornaram mais atrativas De acordo com dados da Associação Nacional dos DETRANS, o Brasil possui uma...

PROJETO DO GOVERNO CRIA MARCO LEGAL DAS STARTUPS E DO EMPREENDEDORISMO INOVADOR

Os objetivos do governo com a proposta incluem fomentar esse ambiente de negócios; aumentar a oferta de capital para investimento em startups; e disciplinar...