ABNT REGULAMENTA NORMA SOBRE CIDADES INTELIGENTES COM PARTICIPAÇÃO DA POLI

Professor Alex Abiko diz que a regulamentação da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) vai auxiliar gestores, com o uso da tecnologia, para o bem-estar dos cidadãos

Normas técnicas são consideradas documentos de referência para muitas atividades do cotidiano, desde a construção civil até bens e serviços. Suas regulamentações acontecem para que seja criada cada vez mais um ambiente seguro em diferentes atividades, com regras e utilizações bem definidas. No Brasil, a responsável pela regulamentação é a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), que está lançando uma norma que regulamenta as Cidades Inteligentes.

“Pela primeira vez temos no País, pela ABNT, o desenvolvimento de normas técnicas relacionadas às questões das cidades. Nos engajamos nessa iniciativa para auxiliar gestores e planejadores urbanos a garantir cidades com mais qualidade”, explica Alex Abiko, professor do Departamento de Engenharia de Construção Civil da Escola Politécnica (Poli) da USP e coordenador da Comissão de Estudos Especial (CEE) de Cidades e Comunidades Sustentáveis da ABNT.

Em entrevista ao Jornal da USP no Ar, Abiko revela que, após buscar referências internacionais para as normas relacionadas ao meio urbano, seu Grupo de Pesquisas em Planejamento e Engenharia Urbanos na Poli passou a pensar na questão de Cidades Inteligentes. Oriunda do grupo, a mais recente norma publicada sobre o assunto é a ABNT NBR 37122 Cidades e Comunidades Sustentáveis – Indicadores para Cidades Inteligentes. Para além de traduzir norma semelhante presente na ISO (Organização Internacional de Normalização), a nova norma foi adaptada para as diferentes realidades encontradas no Brasil.

De acordo com o professor, a norma técnica Cidades Inteligentes busca entender o aporte tecnológico atual e verificar o que as cidades estão precisando, incorporando a tecnologia quando necessária e acessível para a realização de melhorias. “Na definição da norma técnica, a cidade inteligente é aquela que utiliza a tecnologia para o bem-estar dos cidadãos. O foco não é a tecnologia, é o cidadão, o morador da cidade”, destaca Alex Abiko. Organizada em 18 grupos de indicadores, estão presentes nessa nova norma tópicos sobre meio ambiente, segurança pública, saúde, dentre outros.

No geral, “a norma técnica vai contribuir para os gestores públicos, sociedade e políticos entenderem que a tecnologia está a serviço da cidade e não o contrário”, reforça o coordenador da CEE de Cidades e Comunidades Sustentáveis da ABNT. Nesta quinta-feira, às 16 horas, haverá o lançamento da norma ABNT NBR 37122, com a presença do presidente da ABNT, Mario William; do presidente da comissão técnica da ISO, Bernard Gindroz e demais autoridades. Acesse mais informações sobre o evento que será transmitido on-line no canal da ABNT no YouTube clicando aqui.

Fonte: Jornal da USP

Últimas Matérias

TURISMO SUSTENTÁVEL

O setor é responsável por 10% do PIB e conta com 1,2 bilhões de turistas anualmente O Smart Sustainable Tourism for Development é conceito caracterizado...

EMPREENDEDORISMO EM SMART CITIES

O fomento ao empreendedorismo e a inovação tecnológica pode ser a solução para as cidades melhorarem estatísticas.   Nunca foi tão importante discutir empreendedorismo como neste...

LONGEVIDADE EM SMART CITIES

Como cidades humanas, resilientes e inclusivas devem se adaptar ao cenário do envelhecimento crescente da população.   De acordo com a segunda edição do Índice de...

ARTIGO PAULA FARIA – EMBAIXADORA MOBILIDADE ESTADÃO: ENCURTAR DISTÂNCIAS É UM DOS GRANDES DESAFIOS DA MOBILIDADE

Mais que melhorar a experiência ou a rapidez com que as pessoas atravessam a cidade, mobilidade urbana significa acesso a oportunidades *Por Paula Faria  “Como sair...

CENSO MOSTRA QUE ENSINO A DISTÂNCIA GANHA ESPAÇO NO ENSINO SUPERIOR

Em 2009, as matrículas dos calouros em EaD representavam 16,1% do total. Em 2018, elas representavam 39,8% do total de estudantes que ingressaram nas...