PLANEJAMENTO INTELIGENTE

Visualização de dados para mobilidade de São Paulo e como o uso de big data pode ser utilizado em prol da mobilidade urbana

A maneira como se entende a mobilidade urbana mudou muito com a chegada de novas tecnologias: cada vez mais o número de aplicativos voltados para a mobilidade aumentam, assim como novas maneiras de se realizar o mapeamento e gestão do transporte público. Com soluções inovadoras, a mobilidade inteligente passa a ser essencial para garantir o cotidiano das cidades e promover um futuro sem congestionamentos. 

A aplicação desses recursos em cidades facilitam o planejamento urbano e resultam em uma diminuição de custos e aumento na eficiência dos serviços de mobilidade urbana. Nesse sentido, a população passa a ser mais ativa também nos processos de mapeamento e gestão de trânsito quando utilizam aplicativos para se locomover pela cidade: fica cada vez mais evidente também que os cidadãos possuem e desejam auxiliar na identificação de problemas que permeiam seu entorno.

Ainda, dentro de um contexto de cidades inteligentes, a micromobilidade, ou seja, a utilização de meios de transporte alternativos para percorrer distâncias curtas, está cada vez mais próxima de se tornar uma realidade para todos os cidadãos. As bicicletas e patinetes, principalmente aqueles que são compartilhados, são parte importante de políticas de micromobilidade: ao se tornarem uma alternativa de transporte para distâncias curtas, cada vez mais se tornam um complemento ao transporte público- e tudo isso é feito através de aplicativos que permitem a locação desses modais compartilhados. 

A smart mobility é justamente aquela que consegue englobar meios tradicionais de transporte ao mesmo tempo que proporcionar abertura para que novos modelos se integrem, utilizando a tecnologia ao seu favor. Com isso, a tecnologia de Iot e Big Data estão se tornando cada vez mais essenciais para a organização da mobilidade urbana nas cidades, auxiliando gestores públicos em tornarem a mobilidade urbana mais inteligente. 

A IoT é responsável por conectar diversos dispositivos e seus respectivos sistemas a partir de sensores e a Big Data é o que permite analisar esses dados e dar sentido para a imensa quantidade de informação gerada a cada instante. Como resultado da aplicação desses recursos em cidades, existe uma melhora do planejamento urbano e uma diminuição de custos e aumento na eficiência dos serviços. Dentro de inúmeras aplicações, tornar-se uma cidade inteligente ficou mais fácil com a constante geração de dados que podem ajudar na gestão de políticas públicas: projetos passam a ser mais práticos e viáveis financeiramente e, principalmente, a população passa a ser um agente ativo e essencial na construção de novas políticas. 

O Connected Smart Cities Digital Xperience terá um painel dedicado ao tema de Tecnologia de Data Analytics, abordando como o Planejamento Inteligente utiliza a tecnologia para a mobilidade urbana. O painel contará com Mauricio Villar, COO e co-fundador da Tembici; Guilherme Belegante, Coordenador de Planejamento de Transportes da Prefeitura de Joinville;  Eduardo Felipe Zambom Santana, Pesquisador da InterSCity; e Luis Fernando Villaça Meyer, Diretor de Operações do Instituto Cordial. Para mais informações sobre o evento, clique aqui. 

Beatriz Faria
Especialista em Conteúdo da Necta - Conexões com Propósito

Últimas Matérias

EMPREENDEDORISMO EM SMART CITIES

O fomento ao empreendedorismo e a inovação tecnológica pode ser a solução para as cidades melhorarem estatísticas.   Nunca foi tão importante discutir empreendedorismo como neste...

LONGEVIDADE EM SMART CITIES

Como cidades humanas, resilientes e inclusivas devem se adaptar ao cenário do envelhecimento crescente da população.   De acordo com a segunda edição do Índice de...

ARTIGO PAULA FARIA – EMBAIXADORA MOBILIDADE ESTADÃO: ENCURTAR DISTÂNCIAS É UM DOS GRANDES DESAFIOS DA MOBILIDADE

Mais que melhorar a experiência ou a rapidez com que as pessoas atravessam a cidade, mobilidade urbana significa acesso a oportunidades *Por Paula Faria  “Como sair...

CENSO MOSTRA QUE ENSINO A DISTÂNCIA GANHA ESPAÇO NO ENSINO SUPERIOR

Em 2009, as matrículas dos calouros em EaD representavam 16,1% do total. Em 2018, elas representavam 39,8% do total de estudantes que ingressaram nas...

SMART MOBILITY

Com a pandemia do coronavírus, soluções de mobilidade individual se tornaram mais atrativas De acordo com dados da Associação Nacional dos DETRANS, o Brasil possui uma...