ALSTOM OFERECE SOLUÇÃO DE INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL PARA GARANTIR O DISTANCIAMENTO E A SEGURANÇA DOS PASSAGEIROS EM TRENS E ESTAÇÕES

Covid-19: Metrô do Panamá usa a tecnologia de orquestração de mobilidade da Alstom para limitar a taxa de ocupação a 40%

A Alstom lançou uma nova versão de Mastria, a primeira solução de supervisão multimodal e orquestração de mobilidade do mundo, que usa a IA para fornecer às operadoras e autoridades de transporte ferramentas aprimoradas de gerenciamento de fluxo de passageiros. A solução permite que os operadores adaptem sua oferta com facilidade e em tempo real aos diversos protocolos de distanciamento social e para evitar aglomerações de pessoas, que surgiram devido à pandemia do Covid-19.

Graças à combinação de big data e de machine learning, Mastria oferece aos operadores maior visibilidade na distribuição e fluxo de passageiros em trens e estações, bem como capacidades preditivas aprimoradas. Isso equivale à capacidade de antecipar e controlar a densidade de passageiros e as operações em tempo real, adaptando a frequência do trem, a capacidade e o número necessário de trens, bem como os fluxos de passageiros em estações, entre outras coisas. Combinar a oferta de trens com a demanda otimiza as condições de operação, incluindo custos, e é especialmente útil para gerenciar altas de demanda flutuantes, como o horário de pico, em eventos especiais ou em casos de restrições de mobilidade especiais, como na Covid-19.

A nova implementação de Mastria agrega informações sobre a demanda de passageiros de sensores de peso do trem, máquinas de bilhetagem, sinalização de tráfego, sistemas de gestão, câmeras de vigilância e redes móveis, a fim de oferecer um retrato em tempo real dos fluxos de passageiros. A partir deste ponto, Mastria processa os dados e fornece aos operadores as informações e as recomendações necessárias para garantir e antecipar níveis específicos de ocupação, em porcentagem de capacidade máxima, em todos os momentos.

A solução pode sugerir o aumento da frequência dos trens, redistribuindo o fluxo de pessoas para determinadas estações, reajustes a outros sistemas de transporte que afetam o metrô, restringindo a entrada nas estações ou até gerenciando a distribuição de passageiros na plataforma para alinhá-los com os vagões com mais espaço em um determinado trem. Os poderosos algoritmos de previsão de Mastria antecipam essas situações, permitindo o planejamento adequado de todo o sistema.

“Prever é prevenir”, diz Stephane Feray-Beaumont, Vice-presidente de Inovação e Mobilidade Inteligente da Alstom Digital Mobility. “A capacidade desta ferramenta de analisar milhões de dados em tempo real a torna um aliado indispensável para os operadores em todos os momentos, mas especialmente no contexto atual. Simplificando, ele combina oferta de transporte para a demanda, não importa as condições. Todos os especialistas concordam que o transporte público, e particularmente o ferroviário, continuará a ser a espinha dorsal da mobilidade urbana. A inteligência artificial será o nosso melhor parceiro de viagem nesta nova era da mobilidade.”

A EXPERIÊNCIA DO PANAMÁ

A Alstom implementou Mastria para o Metrô do Panamá no final do ano passado. O objetivo foi analisar os fluxos de passageiros e oferecer uma maneira de evitar a saturação que apareceu em momentos imprevisíveis e apenas em determinadas estações. Em apenas três meses, e graças a técnicas de aprendizagem profunda (redes neurais artificiais que permitem algoritmos de autoaprendizagem), a saturação localizada poderia ser prevista até 30 minutos antes que pudesse ser visivelmente observada, permitindo assim medidas corretivas que reduziram os tempos de espera nas estações em 12%.

Atualmente, em resposta à situação da Covid-19, a mesma tecnologia está sendo usada para adaptar as ações operacionais que mantêm a carga do trem a 40% de sua capacidade máxima, conforme recomendado pelas autoridades de saúde do país. Usando várias fontes de dados, como a viagem do usuário e o peso dos vagões, novas funções foram desenvolvidas: monitoramento em tempo real da densidade e do fluxo de passageiros nas estações e trens, com novos alertas preditivos, simulação de abertura e fechamento do acesso às estações e análise da distribuição de passageiros ao longo dos trens.

TECNOLOGIA DE MASTRIA

Mastria é baseada em quatro funções-padrão principais: supervisão multimodal, gestão de tráfego, coordenação de operações e análise preditiva. Essas funções são altamente configuráveis e podem ser combinadas de acordo com as necessidades dos operadores e do ambiente de rede de mobilidade global.

Mastria ingere dados de informações externas e sistemas de controle por meio de conexões de rede seguras. É flexível e escalável e adaptável a diferentes redes de transporte de qualquer tamanho. Mastria pode ser estendida para incluir novas linhas ou meios de transporte adicionais. Numerosas implementações-piloto da tecnologia de inteligência artificial de Mastria já produziram resultados em Paris, Florença, Saragoça e Panamá.

Fonte: Assessoria de Imprensa Alstom


Publicidade

Últimas Matérias

LABORATÓRIO DE AÇÃO DIRETA PARA A MOBILIDADE A PÉ ESTÁ COM INSCRIÇÕES ABERTAS

Inciativa do Laboratório de ação direta para a mobilidade a pé é destinada para grupos de todo o Brasil O Lab.MaP (Laboratório de ação direta...

A TECNOLOGIA COMO FATOR DE IGUALDADE NA MOBILIDADE

Novas plataformas devem permitir que os cidadãos confiem plenamente nos serviços de mobilidade, reduzindo a dependência dos transportes privados e garantindo sustentabilidade e eficiência...

ABES LANÇA PROGRAMA RECITECH COM FOCO NO IMPACTO SOCIOAMBIENTAL

O Programa ReciTech apoirá projetos de inclusão e capacitação digital, por meio do descarte e reciclagem de equipamentos de tecnologia A ABES - Associação Brasileira...

PLATAFORMA PNME LANÇA 1º ANUÁRIO BRASILEIRO DE MOBILIDADE ELÉTRICA

O 1º Anuário Brasileiro de Mobilidade Elétrica  apresenta um panorama do ecossistema da no Brasil e tem o propósito de contribuir com desenvolvimento das...

A CAPITAL DA ISLÂNDIA ESTÁ ENTRE AS CIDADES MAIS INTELIGENTES DO MUNDO

Como Reykjavik, uma cidade com menos de 200 mil habitantes, desenvolveu políticas para se tornar uma cidade inteligente, sustentável e conectada.  Reykjavik é a capital...