TECNOLOGIA AJUDA NA CRIAÇÃO DE MÉTODOS INOVADORES PARA A PESQUISA DURANTE A PANDEMIA

Com tantas variáveis em função da Covid-19, os estudos de inteligência de mercado se tornam ainda mais importantes para direcionar quem deseja empreender em qualquer tipo de negócio

Além dos impactos em praticamente todos os mercados, a pandemia causada pelo novo coronavírus (COVID-19) muda a maneira com que qualquer novo projeto será desenvolvido demonstrando ainda mais a importância de analisar e entender as mudanças no mundo atual. Com tantas variáveis, mudanças no modo de viver, trabalhar, consumir e no comportamento das pessoas como um todo, os estudos de inteligência de mercado se tornam ainda mais importantes para direcionar quem deseja empreender em qualquer tipo de negócio.

Todas essas questões influem também na maneira como são conduzidas as pesquisas. Durante o desenvolvimento dos projetos que a Urban Systems promove, há uma etapa que consiste em ouvir a opinião dos usuários ou dos consumidores finais do produto. Neste momento dos estudos, podem ser utilizadas técnicas de abordagem de pesquisa qualitativa ou quantitativa, e estas são recomendadas a partir das necessidades do cliente e do estágio do projeto em estudo.

Entre as técnicas de metodologia qualitativa, há o Focus Groups – ou Discussões em Grupo – que são utilizadas quando o objetivo da pesquisa é conhecer os consumidores, seus hábitos de consumo, seus valores, entendendo, de forma aprofundada, os motivos de suas respostas e opiniões. Mas, em tempos de pandemia, como conduzir dinâmicas de grupo e interação, considerando a necessidade do distanciamento social?

Foi então que a Urban Systems e sua equipe de consultores especialistas inovou e adaptou algumas técnicas para continuar auxiliando o investidor a mitigar os riscos em seus projetos. A solução foi adaptar as entrevistas individuais realizadas com formadores de opinião, ou seja, pessoas que possuem um conhecimento maior sobre a cidade, região em estudo ou determinado segmento. Para essa modalidade de entrevista a Urban Systems utiliza um roteiro semi estruturado para permitir que outras características e sugestões sejam manifestadas mesmo que não previstas. Agora, além desse roteiro semi estruturado, os dados coletados a partir de um determinado número de entrevistas individuais realizados anteriormente – referentes ao mesmo projeto – são utilizados nas entrevistas seguintes. Ou seja, as entrevistas individuais, agora são colaborativas.

ENTREVISTAS COLABORATIVAS COMO TÉCNICA DE METODOLOGIA ÁGIL

As Metodologias Ágeis têm sido utilizadas por diversas empresas do mercado, tanto para fornecer inputs para a área de pesquisa e desenvolvimento de novos produtos e negócios, quanto como técnica de condução de reuniões do time de colaboradores internos. Este tipo de trabalho contempla o aprendizado contínuo ao longo do processo, agregando valor ao resultado final porque oferece entregas qualitativamente diferenciadas e mais amadurecidas

Por contar com equipe de consultores antenados ao mercado, a Urban Systems, buscou se adequar à situação que o mundo atual tem se apresentado e está trabalhando com Entrevistas Individuais Colaborativas na coleta de dados. Esta nova técnica de pesquisa visa dar mais agilidade e alto rendimento no processo, visto que, a partir da flexibilidade do roteiro, é possível aprender e construir juntamente com os usuários/consumidores e, ao final da pesquisa, ter resultados mais consistentes.

Com a entrevista individual colaborativa, iniciamos com o roteiro semi estruturado colhendo a opinião dos entrevistados sobre determinado produto e, a partir de uma determinada amostra de opiniões, oferecemos aos nossos próximos entrevistados visões diferentes, questionando suas opiniões para trazer uma riqueza maior no resultado das entrevistas.

É importante destacar que, para um resultado satisfatório, é preciso realizar um determinado número de entrevistas individuais, antes de acrescentar dados ao roteiro para as entrevistas seguintes.

Outra vantagem dessa técnica é o fato de que, além de respeitarmos o distanciamento social, a tecnologia permite que as entrevistas sejam mais abrangentes trazendo opiniões de pessoas de diversas cidades, estados e até países. Dessa forma, acrescentando questionamentos com base nas entrevistas anteriores, estimulamos uma maior colaboração dos próximos entrevistados.

Por Renata Rubano, consultora na área de pesquisa para a Urban Systems.

Fonte: Urban Systems

Publicidade
spot_img
spot_img

Últimas Matérias