DESENVOLVIMENTO IMOBILIÁRIO SEGUINDO OS ODS – OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

No Brasil é comum banalizar certos conceitos para se adequar a um modismo e ‘sustentabilidade’ é um desses termos

A relevância da sustentabilidade não apenas na vida cotidiana, mas também nos negócios, investimentos e empreendimentos imobiliários tem aumentado exponencialmente. A pandemia mundial causada pelo novo coronavírus (COVID-19), está acelerando mais esse processo e direcionando os holofotes na necessidade de buscar o desenvolvimento sustentável em todos os setores.

No Brasil é comum banalizar certos conceitos para se adequar a um modismo e ‘sustentabilidade’ é um desses termos. Há pouco tempo, era comum considerar sustentável qualquer tipo de empreendimento ou empresa em função de apenas um ato ou uma característica simples. No mercado imobiliário em particular, por ser um tanto conservador, com características extrativistas em relação à matéria-prima e à grande quantidade de resíduos e entulhos gerada pelas construções de imóveis, essa tendência demorou um pouco mais para chegar, mas podemos garantir que, agora, não tem mais volta. Empreendimentos que não praticam a adoção de práticas sustentáveis já nascem fadados ao fracasso.

INCENTIVOS

A demanda por investimentos mais sustentáveis — tanto em termos ambientais quanto de governança corporativa — é global e mesmo que esteja acontecendo gradualmente já está direcionando os gestores de recursos. Investidores não têm mais interesse em dispender grandes quantias em projetos que não estejam focados na sustentabilidade ampla.

As melhores práticas ambientais, sociais e de governança ESG, na sigla em inglês, como são conhecidas internacionalmente, (Environmental, social and governance) estão diretamente no radar das companhias e investidores do Brasil e do mundo, por estarem associadas a negócios sólidos, baixo custo de capital e melhor resiliência contra riscos associados a clima e sustentabilidade.

Outro conceito que tem pautado os investidores a direcionar seus recursos são as chamadas Empresas B (em inglês: B Corporation, ou B Corp.). A característica comum é ter como modelo de negócio o desenvolvimento social e ambiental. O conceito foi criado em 2006 nos Estados Unidos pela B-Labs, que tinha como foco redefinir a noção de sucesso de uma empresa. A consequência desejada é, finalmente, conciliar os interesses públicos com os privados. Uma empresa se torna B após receber um certificado da B-Lab.

O governo também vem estabelecendo normas para o descarte e destinação adequados de resíduos, que contribuem para a redução de impactos tanto para a natureza quanto para as comunidades, além das chamadas “certificações verdes”.

Um exemplo é o Selo Casa Azul + CAIXA*, um instrumento de classificação socioambiental destinado a propostas de empreendimentos habitacionais que adotem soluções eficientes na concepção, execução, uso, ocupação e manutenção das edificações. A adesão é voluntária e são elegíveis projetos novos em fase de análise ou já analisados e contratados, desde que a obra ainda não tenha sido iniciada. Caso o projeto atenda aos critérios exigidos, o proponente recebe o certificado e terá vantagens como taxas de juros bem menores em relação a outros empreendimentos, o que também acaba sendo repassado ao comprador.

OBJETIVOS DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (ODS)

Desenvolvimento imobiliário sustentável, não é apenas pensar na destinação correta do esgoto e de resíduos. Implica num pensamento de continuidade, de longo prazo, manutenção e preocupação com a população e todo o entorno do empreendimento.

Essa visão mais ampla que tem norteado projetos e governos no mundo todo vem dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS)* criados em 2015 pela Organização das Nações Unidas (ONU). O objetivo dessas decisões é determinar o curso global de ação para acabar com a pobreza, promover a prosperidade e o bem-estar para todos, proteger o meio ambiente e enfrentar as mudanças climáticas, envolvendo trabalho conjunto dos governos, sociedade civil e outros parceiros. Fazem parte dos ODS 17 objetivos, que trazem consigo 169 metas a serem atingidas até 2030. Empresas aliadas a essas diretrizes, com certeza, terão cada vez mais destaque, prosperidade e apoio de investidores.

Fontes: Caixa Econômica Federal; ODS – ONU

Fonte: Urban Systems

Publicidade
spot_img
spot_img

Últimas Matérias