FUNDAÇÃO EZUTE RENOVA PARTICIPAÇÃO NO CSC 19 E APRESENTA NOVIDADES PARA PPPS E CONCESSÕES EM SANEAMENTO, ILUMINAÇÃO E RESÍDUOS

Entre os temas do Connected Smart Cities, Meio Ambiente e Urbanismo Sustentável serão amplamente debatidos na edição 2019, por meio da Agenda Itron & Ezute. Em entrevista, o diretor de inovação e PPPs da Fundação Ezute, Thomas Strasser, destacou a renovação do Patrocínio ao CSS e pontos da pauta conjunta.

Nesse sentido, a Fundação Ezute, organização privada sem fins lucrativos que tem como missão contribuir para a transformação das organizações, apresentará, no Connected Smart Cities 2019, o modelo que a entidade desenvolveu para estruturação de projetos de Parcerias Público-Privadas (PPPs) e Concessões em Saneamento, Iluminação Pública e Resíduos Sólidos. A Fundação também renovou o Patrocínio Prata para a edição 2019 do evento nacional, que será realizado nos dias 17 e 18 de setembro, em São Paulo.

Em entrevista ao CSC, o diretor de inovação e Parcerias Público-Privadas Fundação Ezute, Thomas Strasser, fala sobre a parceria com o CSC, onde destaca a Agenda Estratégica de saneamento básico em parceria com a Itron, e atuação da entidade relacionada ao Meio Ambiente e Urbanismo Sustentável, considerando o Saneamento, Resíduos Sólidos e Iluminação Pública.

Essa agenda acontece no 2º dia do evento e, entre outros temas, apresentará Alternativas de financiamento, Tecnologias e Universalização do saneamento básico no Brasil.

Acompanhe a entrevista com Thomas Strasser:

CSC: Por que participar mais uma vez do Connected Smart Cities e quais as expectativas?
Thomas Strasser: O Connected Smart Cities é muito importante para a Fundação Ezute, pois une os dois públicos de nosso interesse, tanto as entidades públicas quanto a iniciativa privada que atua no setor de infraestrutura. A nossa expectativa para este ano é reforçar a divulgação de nosso modelo para estruturação de projetos de Parcerias Público-Privadas (PPPs) e Concessões em Saneamento, Iluminação Pública e Resíduos Sólidos.

CSC: Qual a relação entre a atuação da Fundação Ezute com o Connected Smart Cities e com o tema cidades inteligentes?
Thomas Strasser: A Fundação Ezute intensificou, a partir de 2017, a sua atuação no segmento de Parcerias Público-Privadas (PPPs) e Concessões em Saneamento, Iluminação Pública e Resíduos Sólidos, que são serviços públicos de importância fundamental no tema cidades inteligentes. Em 2018, a Ezute inovou ao propor um novo modelo de estruturação de projetos neste segmento, que traz muito mais efetividade aos investimentos.

CSC: A Fundação Ezute desenvolveu alguma iniciativa/projeto a partir das ações do Connected Smart Cities? Se sim, quais?
Thomas Strasser: Sim. Em 2018, a Fundação Ezute patrocinou o Connected Smart Cities e apresentou o seu novo modelo de estruturação de projetos em concessões e PPPs. Esta participação foi importante para sensibilizar tanto a iniciativa privada quanto os gestores públicos sobre esta alternativa, muito mais efetiva que o Procedimento de Manifestação de Interesse – PMI.

CSC: De que forma o Connected Smart Cities pode contribuir para disseminar os produtos e/ou serviços da Fundação?
Thomas Strasser: Durante o Connected Smart Cities temos a oportunidade de apresentar o modelo da Ezute para incremento da modalidade de concessões e Parcerias Público-Privadas (PPPs) aos dois públicos que têm interesse nesse processo: às instituições públicas e a iniciativa privada.

CSC: Que produtos e/ou serviços serão apresentados no Connected Smart Cities 2019? Quais as novidades que o mercado e os participantes devem esperar?
Thomas Strasser: A Fundação Ezute apresentará um modelo inovador para a estruturação de concessões e PPPs, alternativo ao Procedimento de Manifestação de Interesse – PMI. Nesse modelo, a Ezute assume, por meio de chamamentos públicos, a captação de recursos financeiros privados a título de doação com encargo, e estrutura os projetos, sem custos para a administração pública, por meio de acordos de cooperação. Os potenciais doadores são organizações ou empresas com interesse em fomentar os setores de Saneamento, Iluminação Pública e Resíduos Sólidos. Este novo modelo já tem resultados positivos em saneamento, que serão apresentados no evento.

CSC: Qual a importância da parceria com o Connected Smart Cities para a sua organização?
Thomas Strasser: O Connected Smart Cities é um excelente vetor para a Fundação Ezute expandir e aprofundar o seu relacionamento com os setores público e privado. O evento certamente atrai a atenção de importantes atores do setor público nacional e do setor privado mundial, ávido para investir em bons projetos de infraestrutura no Brasil. Este ano, a Ezute apresentará no evento os resultados obtidos até agora com este modelo em Saneamento.

Publicidade

Últimas Matérias

TECNOLOGIA VOLTADA PARA O SANEAMENTO

A falta de acesso a rede de água e esgoto é ainda um dos principais desafios para as cidades brasileiras. Entenda como a tecnologia...

VITÓRIA: EVENTO REÚNE ESPECIALISTAS PARA DEBATER SOBRE SMART CITIES

O evento acontece em formato virtual e apresentará o Plano de Cidades Inteligentes para a capital capixaba, 5ª cidade mais conectada do País, de...

PROBLEMAS SAZONAIS X SOLUÇÕES PONTUAIS: O ERRO HABITUAL DOS PLANOS DE GOVERNO LOCAIS

Seria muito bom viver em cidades que criaram soluções criativas para lidar com os novos desafios  Aconteceu algo muito ruim na minha cidade natal: o...

ABES E BRAZILLAB FECHAM PARCERIA PARA ESTIMULAR INOVAÇÃO NO SETOR PÚBLICO

Participantes terão acesso gratuito, por um período de seis meses, aos serviços e experiência da Associação nas áreas jurídica, regulatória, tributária e mercadológica A ABES...