FUNDAÇÃO EZUTE RENOVA PARTICIPAÇÃO NO CSC 19 E APRESENTA NOVIDADES PARA PPPS E CONCESSÕES EM SANEAMENTO, ILUMINAÇÃO E RESÍDUOS

Entre os temas do Connected Smart Cities, Meio Ambiente e Urbanismo Sustentável serão amplamente debatidos na edição 2019, por meio da Agenda Itron & Ezute. Em entrevista, o diretor de inovação e PPPs da Fundação Ezute, Thomas Strasser, destacou a renovação do Patrocínio ao CSS e pontos da pauta conjunta.

Nesse sentido, a Fundação Ezute, organização privada sem fins lucrativos que tem como missão contribuir para a transformação das organizações, apresentará, no Connected Smart Cities 2019, o modelo que a entidade desenvolveu para estruturação de projetos de Parcerias Público-Privadas (PPPs) e Concessões em Saneamento, Iluminação Pública e Resíduos Sólidos. A Fundação também renovou o Patrocínio Prata para a edição 2019 do evento nacional, que será realizado nos dias 17 e 18 de setembro, em São Paulo.

Em entrevista ao CSC, o diretor de inovação e Parcerias Público-Privadas Fundação Ezute, Thomas Strasser, fala sobre a parceria com o CSC, onde destaca a Agenda Estratégica de saneamento básico em parceria com a Itron, e atuação da entidade relacionada ao Meio Ambiente e Urbanismo Sustentável, considerando o Saneamento, Resíduos Sólidos e Iluminação Pública.

Essa agenda acontece no 2º dia do evento e, entre outros temas, apresentará Alternativas de financiamento, Tecnologias e Universalização do saneamento básico no Brasil.

Acompanhe a entrevista com Thomas Strasser:

CSC: Por que participar mais uma vez do Connected Smart Cities e quais as expectativas?
Thomas Strasser: O Connected Smart Cities é muito importante para a Fundação Ezute, pois une os dois públicos de nosso interesse, tanto as entidades públicas quanto a iniciativa privada que atua no setor de infraestrutura. A nossa expectativa para este ano é reforçar a divulgação de nosso modelo para estruturação de projetos de Parcerias Público-Privadas (PPPs) e Concessões em Saneamento, Iluminação Pública e Resíduos Sólidos.

CSC: Qual a relação entre a atuação da Fundação Ezute com o Connected Smart Cities e com o tema cidades inteligentes?
Thomas Strasser: A Fundação Ezute intensificou, a partir de 2017, a sua atuação no segmento de Parcerias Público-Privadas (PPPs) e Concessões em Saneamento, Iluminação Pública e Resíduos Sólidos, que são serviços públicos de importância fundamental no tema cidades inteligentes. Em 2018, a Ezute inovou ao propor um novo modelo de estruturação de projetos neste segmento, que traz muito mais efetividade aos investimentos.

CSC: A Fundação Ezute desenvolveu alguma iniciativa/projeto a partir das ações do Connected Smart Cities? Se sim, quais?
Thomas Strasser: Sim. Em 2018, a Fundação Ezute patrocinou o Connected Smart Cities e apresentou o seu novo modelo de estruturação de projetos em concessões e PPPs. Esta participação foi importante para sensibilizar tanto a iniciativa privada quanto os gestores públicos sobre esta alternativa, muito mais efetiva que o Procedimento de Manifestação de Interesse – PMI.

CSC: De que forma o Connected Smart Cities pode contribuir para disseminar os produtos e/ou serviços da Fundação?
Thomas Strasser: Durante o Connected Smart Cities temos a oportunidade de apresentar o modelo da Ezute para incremento da modalidade de concessões e Parcerias Público-Privadas (PPPs) aos dois públicos que têm interesse nesse processo: às instituições públicas e a iniciativa privada.

CSC: Que produtos e/ou serviços serão apresentados no Connected Smart Cities 2019? Quais as novidades que o mercado e os participantes devem esperar?
Thomas Strasser: A Fundação Ezute apresentará um modelo inovador para a estruturação de concessões e PPPs, alternativo ao Procedimento de Manifestação de Interesse – PMI. Nesse modelo, a Ezute assume, por meio de chamamentos públicos, a captação de recursos financeiros privados a título de doação com encargo, e estrutura os projetos, sem custos para a administração pública, por meio de acordos de cooperação. Os potenciais doadores são organizações ou empresas com interesse em fomentar os setores de Saneamento, Iluminação Pública e Resíduos Sólidos. Este novo modelo já tem resultados positivos em saneamento, que serão apresentados no evento.

CSC: Qual a importância da parceria com o Connected Smart Cities para a sua organização?
Thomas Strasser: O Connected Smart Cities é um excelente vetor para a Fundação Ezute expandir e aprofundar o seu relacionamento com os setores público e privado. O evento certamente atrai a atenção de importantes atores do setor público nacional e do setor privado mundial, ávido para investir em bons projetos de infraestrutura no Brasil. Este ano, a Ezute apresentará no evento os resultados obtidos até agora com este modelo em Saneamento.

Últimas Matérias

TURISMO SUSTENTÁVEL

O setor é responsável por 10% do PIB e conta com 1,2 bilhões de turistas anualmente O Smart Sustainable Tourism for Development é conceito caracterizado...

EMPREENDEDORISMO EM SMART CITIES

O fomento ao empreendedorismo e a inovação tecnológica pode ser a solução para as cidades melhorarem estatísticas.   Nunca foi tão importante discutir empreendedorismo como neste...

LONGEVIDADE EM SMART CITIES

Como cidades humanas, resilientes e inclusivas devem se adaptar ao cenário do envelhecimento crescente da população.   De acordo com a segunda edição do Índice de...

ARTIGO PAULA FARIA – EMBAIXADORA MOBILIDADE ESTADÃO: ENCURTAR DISTÂNCIAS É UM DOS GRANDES DESAFIOS DA MOBILIDADE

Mais que melhorar a experiência ou a rapidez com que as pessoas atravessam a cidade, mobilidade urbana significa acesso a oportunidades *Por Paula Faria  “Como sair...

CENSO MOSTRA QUE ENSINO A DISTÂNCIA GANHA ESPAÇO NO ENSINO SUPERIOR

Em 2009, as matrículas dos calouros em EaD representavam 16,1% do total. Em 2018, elas representavam 39,8% do total de estudantes que ingressaram nas...