CORONAVÍRUS PODE DURAR ATÉ NOVEMBRO NO BRASIL, DIZ ESTUDO

Na última sexta-feira (8), tivemos recorde de 751 mortes em 24 horas, de acordo com dados do Ministério da Saúde

SÃO PAULO – A pandemia do coronavírus pode acabar apenas em meados de novembro no Brasil, segundo estima um estudo da Universidade de Tecnologia e Design de Cingapura atualizado nesta segunda-feira (11). O país já enfrenta uma crise econômica devido ao avanço do vírus e a necessidade da quarentena, maneira mais eficaz de diminuir a taxa de contágio atualmente.

A situação do vírus no Brasil é complicada: na última sexta-feira (8), foi registrado recorde de 751 mortes em 24 horas, de acordo com dados do Ministério da Saúde.

A análise da universidade traz uma estimativa teórica de quando o vírus deve parar de circular em 19 países. Para o Brasil, a data foi estimada em 180 dias a partir de 7 de maio. “As mudanças nos eventos teóricos previstos, como as datas finais teóricas, nos permite medir a incerteza enraizada nos cenários do mundo real”, diz o estudo.

Basicamente, essa mudança de datas é medida pela chamada “volatilidade”. “Se o desvio padrão das datas finais previstas for pequeno (independentemente de sua precisão), indica que os cenários não estão mudando. Se for alto, isso pode implicar que mudanças estão acontecendo”, explica o texto.

No caso do Brasil, a previsão é a maior entre os países apresentados. “O Brasil se destaca com uma data final muito distante e alta volatilidade, indicando um mundo real indesejável e incerto no cenário atual, o que exige cautela e ações preventivas”, diz o estudo.

Os EUA também têm um tempo longo para o seu final teórico, pouco mais de cinco meses, o que indica que o vírus deve parar de circular em meados de outubro. Mas, de acordo com o estudo, o país apresenta “bastante estabilidade nas previsões”.

A Suíça, por exemplo, é um caso desejável com uma data final de pouco mais de 70 dias, também contabilizados a partir de 7 de maio. É o menor período estimado e o país apresenta a menor volatilidade. Segundo o estudo, o Brasil ainda está no início do ciclo de vida pandêmico.

O estudo ressalta que as previsões são importantes, “mas que são difíceis dado o cenário de extrema incerteza e um problema tão grave como a pandemia de Covid-19”.

“Por isso, pretendemos explorar os valores do monitoramento preditivo para lidar com a incerteza das previsões e fazer o uso dos resultados para os bens adequados. Monitoramento preditivo significa o monitoramento contínuo das previsões de eventos futuros cruciais, como a flexão e final da curva do ciclo de vida pandêmico, juntamente com os dados reais do histórico até o momento”, diz o estudo.

A Universidade John Hopkins, que monitora o avanço da pandemia, contabiliza, no mundo, mais de 4,1 milhões de casos confirmados da doença e mais de 280 mil mortes.

No Brasil, são 162.699 casos confirmados e 11.123 mortes, segundo dados do Ministério da Saúde desta segunda-feira por volta das 11h.

Fonte: InfoMoney

Últimas Matérias

TURISMO SUSTENTÁVEL

O setor é responsável por 10% do PIB e conta com 1,2 bilhões de turistas anualmente O Smart Sustainable Tourism for Development é conceito caracterizado...

EMPREENDEDORISMO EM SMART CITIES

O fomento ao empreendedorismo e a inovação tecnológica pode ser a solução para as cidades melhorarem estatísticas.   Nunca foi tão importante discutir empreendedorismo como neste...

LONGEVIDADE EM SMART CITIES

Como cidades humanas, resilientes e inclusivas devem se adaptar ao cenário do envelhecimento crescente da população.   De acordo com a segunda edição do Índice de...

ARTIGO PAULA FARIA – EMBAIXADORA MOBILIDADE ESTADÃO: ENCURTAR DISTÂNCIAS É UM DOS GRANDES DESAFIOS DA MOBILIDADE

Mais que melhorar a experiência ou a rapidez com que as pessoas atravessam a cidade, mobilidade urbana significa acesso a oportunidades *Por Paula Faria  “Como sair...

CENSO MOSTRA QUE ENSINO A DISTÂNCIA GANHA ESPAÇO NO ENSINO SUPERIOR

Em 2009, as matrículas dos calouros em EaD representavam 16,1% do total. Em 2018, elas representavam 39,8% do total de estudantes que ingressaram nas...